BUSCAR
BUSCAR
Balanço
Taveira celebra primeiras ações e rebate críticas a gestão em Parnamirim
Há quatro meses no cargo, Taveira conta que início de gestão serviu para equilibrar finanças e promover ações cirúrgicas em alguns setores do Executivo
Tiago Rebolo
09/05/2017 | 06:00

O prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira (PRB), reconhece que assumiu o município em meio a dívidas que podem chegar à cifra de R$ 140 milhões. De acordo com ele, que assumiu o comando da Prefeitura das mãos de Maurício Marques (PDT), a realidade financeira da terceira maior cidade do estado não é diferente do restante do país, que vivencia grave crise econômica.

“Quase todos os gestores do país receberam prefeituras endividadas, e em Parnamirim não foi diferente. Recebemos, sim, algumas dívidas que o ex-prefeito Maurício teve dificuldade de pagar, principalmente nos últimos dois anos do mandato, por causa da crise nacional”, relata.

Segundo Taveira, é inevitável que dívidas sejam transferidas para a gestão seguinte, pois há parcelamentos elásticos. “Quando eu for passar o cargo, vou passar alguma dívida também, pois estou dividindo alguns débitos em até 60 meses. Meu mandato é só de 48 meses. Este parcelamento tem que ser feito”, assinala, registrando que há dívidas no município remanescentes ainda da gestão do ex-prefeito Agnelo Alves [2001-2008].

Além do parcelamento das dívidas junto a fornecedores, o prefeito frisa que outras ações estão sendo tomadas no sentido de dar maior equilíbrio financeiro à gestão, como o envio à Câmara Municipal de um projeto que institui um leilão reverso dos débitos existentes.

Nessa modalidade, a administração municipal estabelece uma oferta pública de recursos para os credores. Vence quem apresenta maior desconto, e assim o débito é quitado. “Vamos leiloar as dívidas do município. Esperamos, com isso, reduzir no mínimo 30% do débito, para que a gente possa pagar”, explica Taveira.

Apesar de concentrar esforços no equilíbrio financeiro do município, o prefeito conta, porém, que a gestão tem adotado providências em outras áreas estratégicas, como na educação. Taveira expõe que recebeu as escolas (são 66 no município) em “situação precária” e que, diante do tempo escasso e da crise financeira, buscou priorizar o início do ano letivo em detrimento de obras estruturantes. “Havia escolas que há três anos não recebiam uma pá de tinta. Recebi a educação com muitas dificuldades. No entanto, eu tinha o compromisso era de iniciar o ano letivo”, resume.

Em relação à estrutura das unidades, o prefeito ressalta que o ideal era planejar reformas para o período de recesso escolar. No entanto, em face da situação críticas em alguns prédios, a administração está tendo de fazer reparos “com os alunos dentro”. Ele frisa que, com a força-tarefa realizada desde o início do mandato, 80% das unidades já estão em condições de receber alunos. “Até o final do ano, 100% estarão em pleno funcionamento. E, no meu segundo ano, eu vou dar um banho nas escolas”, projeta.

Sobre a falta de merenda escolar, uma queixa constante de professores e motivo de ataques da oposição na Câmara, o prefeito destaca que isso é “prioridade zero” da gestão e que, depois de problemas no início das aulas, a situação foi normalizada.

Limpeza e ações básicas

No que diz respeito à limpeza urbana, o prefeito negou que haja deficiência na coleta do lixo na cidade, como foi apontado recentemente pela vereadora Fativan Alves (PSDB). Segundo Taveira, os resíduos domésticos estão sendo recolhidos “religiosamente” em dia. O problema está na coleta de podas e entulhos. “O terreno onde colocávamos esses despejos [podas e entulhos] foi interditado pelo Idema. Estamos aguardando a liberação para normalizar essa questão. Mas a coleta do lixo doméstico está normal”, pontua.

Rosano Taveira fez questão também de responder às críticas do ex-vereador Gildásio Figueiredo (PSDB), que destacou em entrevista recente ao Agora Jornal que a gestão parnamirinense – nesses quatro meses iniciais – não promoveu “pequenas obras”, o que poderia ter sido feito já que a crise financeira impede grandes intervenções. “Como administrador, o ex-vereador Gildásio é zero. Ele sempre foi do Legislativo e passou anos nesse ‘blá-blá-blá’. É interessante criticar, mas ele deveria ter apresentado as soluções”, rebateu o prefeito.

Mesmo assim, o prefeito lista “pequenas ações” realizadas nestes primeiros meses de administração. Entre as conquistas da gestão, Taveira destaca a liberação de verba pela Caixa Econômica Federal para a reformulação do espaço onde fica localizada a Feirinha de Frutas de Pium, na região do litoral; a urbanização de Pium e Cotovelo; e a reforma da área de lazer da Praça das Mangueiras, no Boa Esperança.

“Ele [Gildásio] tem que andar em Parnamirim para ver. E outra: ele tem que ver a minha prioridade não são obras de visibilidade. Por exemplo: coloquei em dia o pagamento com as clínicas conveniadas e atendimentos de alta complexidade estão sendo feitos em Parnamirim. Comprei também 50 mil seringas para verificação de glicemia, ação importante para quem tem diabetes. E estamos fazendo um PPA participativo pela primeira vez”, elenca.

O prefeito de Parnamirim enaltece ainda o pagamento de salários atrasados de servidores públicos e a reabertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Esperança, que passou mais de um mês sem funcionar. “Outra da série ‘pequenas coisas’: fechar parceria com o Senac para qualificar a população e depois trazer o Sebrae para auxiliar na geração de empregos”, complementa.

Em relação às críticas de modo geral que vêm enfrentando, o chefe do Executivo vê com naturalidade os apontamentos. “Não tenho raiva de nenhum vereador. Todos, incluindo os da minha bancada, estão autorizados a fazer qualquer crítica. Inclusive, eu avisei ao meu líder que todo requerimento da Câmara já entra aprovado, independente do que seja. O gestor que só quer receber elogios está fadado ao fracasso”, afirma.

Segurança pública

Em relação ao problema da segurança pública, mal que afeta todo o estado, com altos índices de criminalidade, Taveira argumenta que, apesar de a área ser de responsabilidade do Governo do Estado, a Prefeitura tem investido na implementação de políticas públicas para colaborar. Neste aspecto, o prefeito cita o programa “Transformando Destinos”, que integra Saúde, Educação e Assistência Social com o objetivo de prevenir a violência ao combater o aumento no consumo de drogas – um dos maiores motivadores do envolvimento de pessoas com o crime.

“Além disso, estou criando a Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social – que vai absorver o Trânsito também – para ajudar o Estado. Dentro dela, estarão a Guarda Municipal e a Defesa Civil. Somado a isso, vamos tentar derrubar, junto ao Tribunal de Contas, a proibição do pagamento das diárias operacionais para policiais. O problema da segurança pública é falta de efetivo. A população cresceu, e a polícia não acompanhou com o tamanho do efetivo. Estou criando a secretaria para ajudar”, destaca o prefeito, salientando que o titular da pasta será o coronel reformado da Polícia Militar Marcondes Pinheiro.

Diálogo com demais instituições têm sido bom, afirma Taveira

Considerada “pedra no sapato” dos prefeitos, a fiscalização de instituições como o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público, além da ação do Tribunal de Justiça não tem sido problema para o chefe do Executivo em Parnamirim. O prefeito afirma que a relação tem sido boa com essas instituições e que tem buscado parcerias administrativas com esses órgãos.

“Já tive duas vezes com o presidente do Tribunal de Justiça e devo, inclusive, requisitar em breve empréstimo de um prédio onde funcionava o Fórum para uma ação nossa. Isso é parceria entre os poderes. E poderá funcionar como uma espécie de contrapartida, pois a Prefeitura cedeu o terreno onde foi construído o novo fórum [em Monte Castelo]. Também estamos bem entrosados com o Ministério Público. Comigo, tudo é aberto. Estamos pregando transparência”, assinala.

Sobre o relacionamento com o governador Robinson Faria, o prefeito de Parnamirim destaca que “não vê bandeira partidária”. “Tive com o governador três vezes e vou atrás dele e daquele que trouxer benefícios para o município. Temos problemas que precisam ser resolvidos. Ele é governador de todo o Estado, e eu não vejo bandeira política”, enfatiza.

Apoios para 2018 estão praticamente definidos

Em relação às eleições de 2018, motivo de especulação na cidade, o prefeito de Parnamirim realça que já tem alguns candidatos definidos. Para deputado estadual, por exemplo, ele frisa que apoiará a eleição do ex-prefeito Maurício Marques (PDT). Já para federal, ele diz que está “muito afinado” com Walter Alves (PMDB). E para senador, deve apoiar as reeleições de Garibaldi Alves Filho (PMDB) e José Agripino Maia (DEM).

Rosano Taveira hesita, contudo, ao anunciar seu candidato ao Governo do Estado. Ele conta que poderá dar suporte ao projeto de reeleição de Robinson Faria (PSD) caso o governador estimule ações para o município. “Se Robinson trouxer investimentos para Parnamirim, seguiremos juntos. Se a caneta dele funcionar para Parnamirim, ele terá o meu apoio”, ressalta.

“Eu quero que o município seja beneficiado com obras. Então, ele [governador] tem que mostrar que quer o meu apoio, trazendo investimentos para a cidade”, conclui.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.