BUSCAR
BUSCAR
Entrevista
Só “ações enérgicas” vão reduzir criminalidade, afirma deputado
Parlamentar defende a adoção de políticas públicas contumazes nas cinco áreas que formam o “Pentágono da Segurança” idealizado por ele
Redação
13/12/2019 | 04:00

Cumprindo seu primeiro ano de mandato na Câmara dos Deputados, o deputado federal pelo Rio Grande do Norte General Girão (PSL) escolheu a segurança como a prioridade de sua atuação parlamentar. Ele dividiu o tema em cinco áreas prioritárias, que formam o que ele denominou como “Pentágono”.

Hoje na reserva do Exército, com experiência de ter sido secretário de Segurança Pública em Roraima e no Rio Grande do Norte e no município de Mossoró, o parlamentar avalia que, nos últimos anos, houve o que ele chama de uma inversão de valores no País. “Os policiais eram vistos como bandidos, e os bandidos eram defendidos como vítimas da sociedade”, resume.

Agora com Jair Bolsonaro na Presidência da República, o deputado acredita que a realidade já tem mudado. Ele exalta as metas contidas no Plano Nacional de Segurança Pública – materializado pelo programa Em Frente, Brasil, lançado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro – e registra que é preciso implementar um conjunto de ações para enfrentar o problema da criminalidade.

Nesta entrevista ao Agora RN, General Girão defende a adoção de políticas públicas contumazes nas cinco áreas que formam o “Pentágono da Segurança” idealizado por ele: a segurança pública propriamente dita, ou seja, o combate à violência; a segurança jurídica; a segurança social; a segurança de infraestrutura; e a segurança hídrica e alimentar.

Confira a entrevista na íntegra:

AGORA RN – Como chegamos até o momento atual, em que a violência assusta os brasileiros e, em especial, os potiguares?
GENERAL GIRÃO – O Brasil jamais poderá progredir se o cidadão brasileiro não puder viver de forma segura, com respeito aos agentes de segurança pública e com confiança nas instituições da Justiça. Durante anos, os valores foram totalmente invertidos em nosso País. Os policiais eram vistos como bandidos, e os bandidos eram defendidos como vítimas da sociedade, que tinham optado pelo mundo do crime por falta de oportunidades. O politicamente correto reinava na área da segurança pública e ainda assola os setores de bem da sociedade.

AGORA RN – O que fazer para contornar esse problema?
GENERAL GIRÃO – Somente ações realmente enérgicas e estratégicas são capazes de diminuir a criminalidade. Não basta somente colocar viaturas nas ruas com o intuito de transmitir sensação de proteção à população. É preciso haver planos de segurança pública, elaborados por especialistas na área, que envolvam a modernização do sistema penitenciário; o combate integrado, entre estados e governo federal, às organizações criminosas; políticas de redução do feminicídio e violência contra a mulher; medidas para a diminuição de homicídios dolosos; e o combate integrado ao tráfico de drogas e armas.

AGORA RN – O governo do presidente Jair Bolsonaro e o Governo do Estado têm adotado essa estratégia?
GENERAL GIRÃO – Tudo isso já está incluído no Plano Nacional de Segurança Pública do governo Bolsonaro, mas, parece que, infelizmente, o Governo do Rio Grande do Norte não vê tais medidas como prioritárias. O nosso Estado vive uma onda de violência desenfreada há bastante tempo e essa área claramente não vem recebendo a atenção devida.

AGORA RN – Como o senhor enxerga o atual momento do País no combate à corrupção?
GENERAL GIRÃO – Manifestações que se sucederam durante os últimos anos, quando decidimos tirar o PT do governo, eram uma demonstração clara de que a população não tinha mais confiança, não só no governo, mas também em determinadas instituições públicas e jurídicas. O apoio crescente à operação Lava Jato por parte da esmagadora parte do povo brasileiro demonstrava que os rumos do País, finalmente, estavam mudando para valer. Não há nada que possa deter um povo unido, determinado a exterminar um mal que nos assombra durante décadas: a corrupção.

AGORA RN – O senhor tem defendido também mais segurança social. Como encarar, neste sentido, o problema do desemprego?
GENERAL GIRÃO – Apoio todos os programas emergenciais de empregos criados pelo governo Bolsonaro, e todos vêm dando certo. Só para se ter uma ideia, as vagas com carteira assinada não param de crescer. Há sete meses consecutivos, estamos com saldo positivo. Só em outubro, o País abriu 70.852 vagas. A região Nordeste teve mais de 21.776 vagas. Além de investir nas áreas saneamento, construção civil e moradia popular, o governo federal criou programas de capacitação nos bolsões de desemprego das grandes cidades, executou um conjunto de ações para auxiliar na redução do endividamento de famílias e empresas e promoveu diversas ações direcionadas aos empreendedores. Além disso, Bolsonaro criou o Programa Verde Amarelo, que propõe um conjunto de regras mais amplo sobre o trabalho aos domingos e feriados. Já o saneamento, outra área fundamental para se chegar ao desenvolvimento social, também tem recebido toda a atenção em meu mandato.

AGORA RN – Natal deverá receber uma das escolas cívico-militares que o governo federal pretende implantar até o ano que vem. Como o senhor avalia a nova gestão da educação?
GENERAL GIRÃO – Já encaminhei um pedido para que tenhamos mais unidades das escolas cívico-militares em nosso Estado ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, que com certeza está revolucionando a qualidade do ensino brasileiro que, por causa dos governos passados, está em uma situação ainda muito ruim. Estou convicto que, nos próximos três anos, teremos avanços na educação em todo o Brasil. Inclusive, estamos apoiando diversas iniciativas municipais na área da Educação Básica, seja com emendas parlamentares, seja por intermédio de contatos junto aos órgãos federais.

AGORA RN – Na área de infraestrutura, o que o senhor destacaria deste primeiro ano de mandato?
GENERAL GIRÃO – Destinei a parte da emenda de bancada ao orçamento de 2020 que me cabia à conclusão da Reta Tabajara. São R$ 16,5 milhões que, somados aos outros R$ 16,5 milhões destinados pela bancada, coletivamente, totalizam mais de R$ 33 milhões, em 2020, suficientes para a conclusão das obras, beneficiando diretamente milhares de cidadãos que transitam por aquele trecho. Também quero destacar a emenda parlamentar que destinei à Codern para adequação de instalações gerais e de suprimentos no Porto de Natal.

AGORA RN – O senhor tem defendido também mais segurança hídrica. Como isso é possível, diante do cenário de seca?
GENERAL GIRÃO – Um dos principais problemas do nosso Nordeste obviamente é a seca, que castiga todos aqueles que vivem, especialmente, em áreas rurais. Essa irregularidade climática, com precipitação insuficiente e má distribuição das chuvas, desestrutura a atividade econômica, dificulta investimentos e condena milhões de brasileiros a viverem abaixo da linha da pobreza. E não adianta somente enviar carros-pipas para essas comunidades. Isso só resolve os problemas imediatos. A transposição do Rio São Francisco, que ficou jogada às traças pelos governos petistas, finalmente será feita no Governo Bolsonaro e trará água ao Semiárido, a partir do investimento já feito nas obras de transposição. Em meu mandato, as seguranças hídrica e alimentar recebem prioridade máxima.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.