BUSCAR
BUSCAR
União
Com intuito de ultrapassar cláusula de barreiras, PHS prioriza se fundir com PMN
Mesmo tento eleito uma bancada com três deputados federais, o desempenho do PMN foi inferior ao do PHS, que esbarrou no cumprimento da cláusula de barreira por aproximadamente 48 mil votos apenas
Redação
26/10/2018 | 15:57

Passada as eleições do último dia, 7, o Partido Humanista da Solidariedade (PHS), que elegeu uma bancada composta por 16 deputados estaduais, seis deputados federais, dois senadores e um governador, têm mantido conversas com vários dirigentes de partidos políticos, no intuito de se unir, para não perder o acesso aos recursos do fundo partidário e ao tempo de propaganda no rádio e TV.

A chamada cláusula de barreira, que afetou diversos partidos considerados “nanicos”, dentre eles o PHS, impôs regras de desempenho já a partir das eleições de 2018 e cerca de 15 siglas que não conseguiram atingir as metas, terão que cumprir algumas exigências, caso queriam continuar na disputa com condições de eleger mandatários nos próximos pleitos.

Umas das possibilidades para que os partidos continuem no jogo é a fusão ou incorporação das siglas, para que os resultados alcançados por ambos nas urnas em 2018, possam ser somados, e com isso, superado o percentual de votos válidos exigidos pela nova regra.

O presidente nacional do PHS, Eduardo Machado anunciou que a legenda caminha para uma união com o Partido da Mobilização Nacional (PMN), apesar de existir conversas com o representante maior do Partido Republicano Progressista (PRP), Ovasco Resende e com à direção Nacional do Partido Pátria Livre (PPL),

Mesmo tento eleito uma bancada com três deputados federais, o desempenho do PMN foi inferior ao do PHS, que esbarrou no cumprimento da cláusula por aproximadamente 48 mil votos apenas.

O secretário-geral nacional do PHS, Luiz França esteve com o presidente nacional do PMN, Carlos Massarolo e com o tesoureiro-nacional, Reginaldo Moreira para acertar detalhes da união pela sobrevivência das siglas. “Juntos deixaremos de ser pequenos e passaremos a ser grandes e fortes, pois com uma bancada de 09 deputados teremos voz ativa e uma representatividade muito mais expressiva”, declara.

O presidente nacional do PMN, Carlos Massarolo manifestou grande interesse na composição das siglas, que juntas passariam a ser chamar: MOBILIZAÇÃO 31. Para o dirigente, a união das agremiações será a combinação perfeita de ideologias e projetos para o crescimento do país. “Essa junção para ser espetacular para ambas as legendas por terem ideais e princípios similares, quem ganhará com isso será a nação brasileira”, declara.

De acordo com o presidente solidarista, dentro de poucos dias, o PHS, através de seus representantes, decidirá qual rumo o partido seguirá. “Vamos ouvir todas as propostas e escolher dentre elas a melhor para os nossos parlamentares eleitos e para os nossos projetos futuros”, disse.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.