BUSCAR
BUSCAR
Discussão
Audiência debate projetos “Vizinhança Solidária” e “Batalhão Participativo”
Basicamente, iniciativa estabelece vínculo social, aproximando a polícia dos moradores dos bairros da capital potiguar
Redação
23/06/2017 | 15:07

Proposta pelo vereador Robson Carvalho (PMB), uma audiência pública debateu nesta manhã (23) na Câmara Municipal de Natal os resultados dos projetos Vizinhança Solidária e Batalhão Participativo, iniciativa que estabelece vínculo social, aproximando a polícia dos moradores, afim de que juntos busquem soluções para reduzir os índices de violência e criminalidade nas localidades da cidade.

Tatiana Maia, moradora do bairro de Lagoa Nova, é integrante do grupo Vizinhança Solidária que atua na Praça das Mangueiras, realizando a manutenção do local e reforçando a atenção e contato com a polícia. “Após a praça ser revitalizada, montamos grupo para mantê-la em condições de uso e para tirar os meliantes de lá. Antigamente só tinha viciados em drogas, assaltantes, e nós conseguimos manter a praça limpa e sem meliantes. Todos do grupo se comunicam e se mobilizam, uns protegem os outros”, conta. Já Fabiana Fernandes é membro do Projeto Gizela, em homenagem à turismóloga Gizela Mousinho, morta durante assalto em janeiro de 2016, em frente a uma padaria na Zona Sul da cidade, e também participa de iniciativa semelhante. “Gera relacionamento diferente e um sentimento de comunidade. Aquele sentimento de impotência que temos vai se transformando em sentimento de irmandade. A violência não é um problema que atinge só a periferia. As pessoas estão sendo mortas em todas as partes da cidade e isso tem que parar”, destaca.

Os projetos em que a população é parceira da polícia foi iniciativa do major Correia Lima no início do ano passado, quando comandava o 5º Batalhão da Polícia Militar . Ele diz que não há custos e que os resultados são eficientes. Os grupos se comunicam via redes sociais e por telefone, mas também se reúnem presencialmente para discutir ações. “Esses grupos de alerta passam a ser olhos e ouvidos da polícia no momento em que não podemos patrulhar em determinadas áreas. Onde fizemos esses grupos houve redução de até 74% nas ocorrências. Além disso, a população voltou às praças e a conviver com mais tranquilidade. O objetivo é colocar os crimes em níveis suportáveis e resgatar a sensação de segurança”, diz o major. Agora, ele assumiu o 9º Batalhão, que abrange a zona Oeste da Cidade, e pretende implantar o mesmo trabalho na área.

Para o vereador Robson Carvalho, essas iniciativas precisam ser abraçadas pelo Governo e disseminadas em todos os bairros da capital. “Esperamos que venha a se espalhar para outras localidades do município. De nossa parte estamos dando publicidade para que o programa seja consolidado e que os índices de violência e criminalidade venham a diminuir em todas as regiões, já que vimos que essas iniciativas deram resultado positivo. Além disso, vamos apresentar projeto de lei para que haja contrapartida do município para auxiliar os grupos a adotarem espaços públicos a exemplo do que acontece na Praça das Mangueiras”, anuncia o parlamentar. Participaram ainda da audiência os vereadores Sueldo Medeiros (PHS), Preto Aquino (PEN) e Ney Lopes Júnior (PDT), além de populares, policiais e Guarda Municipal, bem como o Secretário da Segurança e Defesa Social do Município, João Paulo Mendes.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.