BUSCAR
BUSCAR
Polêmica em Parnamirim
Adversário entra com ação após Taveira dizer que opositores fizeram “pedidos irregulares”
Segundo Padilha, afirmações de Taveira, caso não sejam esclarecidas, prejudicam honra nos âmbitos pessoal e profissional. Ele nega ter feito qualquer pedido ilícito ao prefeito
Redação
28/01/2020 | 15:22

O advogado Iran Padilha, pré-candidato a prefeito de Parnamirim, ingressou com uma ação na Justiça nesta segunda-feira (27) para que o prefeito da cidade, Rosano Taveira, explique a quem se referiu ao dizer que ganhou adversários políticos por não atender a “pedidos irregulares” e por supostamente ter cortado “privilégios”.

O processo foi distribuído para a 2ª Vara Cível de Parnamirim, da Justiça do Rio Grande do Norte. Na petição, Iran Padilha afirma que, por ser opositor de Taveira, se sentiu ofendido com as declarações. “Estaria o prefeito afirmando claramente que seus opositores agiram de forma ilegal, fazendo pedidos irregulares ou tendo certos privilégios”, escreveu o advogado.

Segundo Padilha, as afirmações de Taveira, caso não sejam esclarecidas, prejudicam sua honra nos âmbitos pessoal e profissional. Ele nega ter feito qualquer pedido ilícito ao chefe do Executivo Municipal. À Justiça, o advogado pede que o prefeito de Parnamirim seja intimado a nominar quem teria lhe feito pedidos irregulares, “para que não ocorra uma generalização de acusação de conduta ilegal a todos os seus opositores, como foi feito no caso”.

A petição sugere, ainda, que Taveira cometeu o crime de prevaricação caso tenha recebido pedidos irregulares e não tenha denunciado o ato às autoridades competentes. “Estando o interpelado (Taveira) na função pública de prefeito de Parnamirim, e, enquanto tal, recebendo pedido irregular de terceira pessoa, deve este reportar o ocorrido para as vias judiciais. Em caso de omissão, como ocorreu, já temos praticado o crime de prevaricação”, salientou Iran Padilha.

Além de solicitar que o prefeito se explique quanto às afirmações, o pré-candidato a prefeito pede à Justiça, também, que encaminhe os autos para o Ministério Público, para que o órgão investigue possíveis atos ilícitos.

Relembre as declarações

As declarações de Taveira às quais se refere Iran Padilha foram dadas ao jornal Agora RN, em entrevista publicada na última quarta-feira (22). A polêmica surgiu após a reportagem perguntar ao prefeito sobre críticas que um ex-aliado dele, o ex-prefeito Maurício Marques, tem feito à atual administração.

Em resposta, o prefeito de Parnamirim afirmou, sem citar nomes: “Quem estava comigo e agora está do outro lado me criticando, é porque teve duas coisas: ou me pediu algo irregular para eu fazer, e eu não fiz; ou quebrei alguns privilégios que se tinha”.

Dias antes, em entrevista à Tribuna do Norte, o prefeito havia feito declaração parecida. Ao jornal, o prefeito disse que alguns de seus opositores estão “desalinhados” com a atual administração porque tiveram “interesses quebrados”.

Sem citar nomes, o gestor municipal disse que ganhou adversários políticos porque, quando assumiu a Prefeitura, em 2017, não autorizou a manutenção de privilégios e não atendeu a “pedidos irregulares”.

“Quem está desalinhado comigo é porque algum interesse foi quebrado. Se alguém chega na rua e está falando de Taveira, tem duas coisas: ou ele pediu alguma coisa irregular e eu não fiz ou então o interesse dele foi cortado. Privilégio eu tive de cortar aqui. Direitos, não”, afirmou o prefeito, segundo relatou o jornal.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.