Justiça
PGR dá aval para prorrogar conclusão de inquérito sobre interferência na PF
O relator, ministro Celso de Mello, pediu a Aras que se manifestasse sobre o assunto. A corporação terá mais 30 dias
Por Redação - Publicado em 02/06/2020 às 14:54
Reprodução/Internet
Procurador-geral da República Augusto Aras
Publicidade
O procurador-geral da República, Augusto Aras, se manifestou a favor do pedido da Polícia Federal para prorrogar o prazo do inquérito que apura suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na corporação. Agora, a instituição terá mais 30 dias para concluir as investigações.

“Manifesta-se pelo deferimento do requerimento formulado pela Autoridade Policial, de modo a serem cumpridas as ‘diversas diligências de polícia judiciária já determinadas pelas autoridades policiais que atuam na presente investigação criminal'”, diz o documento.

Na sexta-feira (29/05), a delegada Christine Machado solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que prolongasse o prazo que deu à corporação para concluir o caso. Na ocasião, o relator, ministro Celso de Mello, pediu a Aras que se manifestasse sobre o assunto.

O inquérito foi aberto pela Corte em abril, a pedido da PGR. Na ocasião, o então ministro da Justiça, Sergio Moro, anunciou a demissão do cargo afirmando que o chefe do Executivo interferiu na PF. Segundo ele, Bolsonaro queria colocar alguém “do contato pessoal dele”, para “colher informações de investigações”.

*Com informações do Metrópoles

Publicidade
Publicidade