BUSCAR
BUSCAR
Manifestação
Trabalhadores protestam por mais proteção contra Covid-19
Na França ou no Zimbábue, a reclamação é a mesma: apoio dos governos para que atividades sejam realizadas com segurança durante a pandemia
R7
11/07/2020 | 10:44

Com a reabertura de estabelecimentos e o retorno à normalidade durante a pandemia do coronavírus, diversos trabalhadores sentem que estão em posição vulnerável, mesmo em lugares onde a Covid-19 é considerada ‘sob controle’. Na França, funcionários do Museu do Louvre pediram ao governo para ajudá-los a superar a crise no setor do turismo.

Com fronteiras fechadas, o museu recebe muito menos turistas do que está acostumado. Em maio, o governo francês anunciou um auxílio de 18 bilhões de euros para o turismo, mas esse dinheiro não chega até os guias turísticos, que tem contratos curtos e estão passando por dificuldades financeiras.

Não há uma previsão de quando a “normalidade” será retomada, mas a estimativa é de que o museu ainda vai passar meses com poucos turistas e visitantes. 

No Zimbábue, enfermeiros e profissionais da saúde protestaram por maiores salários e pelas condições difíceis de trabalho durante a pandemia. O coronavírus demorou para chegar no continente africano, que está tentando lidar com o número de casos em um sistema de saúde fragilizado e com a falta de infraestrutura.

 Na África do Sul, grupos se reuniram na frente da Universidade de Wits, em Johannesburgo, para protestar contra o teste de uma vacina contra o coronavírus desenvolvida pela instituição e a Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Para os testes, cerca de 2 mil pessoas serão vacinadas nos próximos meses para ver a eficácia da vacina contra a Covid-19. O país é o epicentro da doença no continente africano. O grupo contra os testes disse que africanos não são “cobaias”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.