BUSCAR
BUSCAR
Argentina
Pastor alega que bicicleta é ‘diabólica’ e rouba a virgindade das mulheres
A Igreja Pentecostal Renascimento iniciou uma campanha que afirma que a bicicleta é um “ladrão silencioso da virgindade” das mulheres
Por Redação
22/11/2017 | 21:23

Uma igreja pentecostal na Argentina se tornou tema de reportagens em todo o mundo por pedir às fiéis que abandonassem o uso da bicicleta, por ela ser um instrumento “violador” da virgindade feminina inspirado pelo demônio. Desde a publicação dessa afirmação, o assunto ainda é bastante comentado nas redes sociais.

A Igreja Pentecostal Renascimento iniciou uma campanha que afirma que a bicicleta é um “ladrão silencioso da virgindade” das mulheres e adverte que “não é um veículo bíblico”. O pastor responsável pela iniciativa, Elias Ramirez, diz que a bicicleta aos poucos corrompe a castidade feminina.

rtiroro

“Continuo preocupado com a quantidade de princesas de Deus, que continuam a perder sua castidade com estes instrumentos do diabo. Ao longo de 200 anos, tomou centenas de milhões de almas que se enquadram às redes destes veículos de golpe espiritual”, afirmou o pastor, que conta com a distribuição de panfletos para difundir suas ideias.

“Já que eu vi que persistem na incredulidade, e que estão aqui, porque realmente, querem que a luz e a sabedoria que só tem quem recebeu o Espírito de Deus, eu sinto a necessidade de revelar a verdade sobre o mundo infame e anticristão do ciclismo. Eu tenho cinco coisas que você nunca imaginou em suas aulas de spinning… além do perigo óbvio de destruir a virgindade das princesas de Deus”, disse Ramirez, de acordo com informações do site Los40.

 

 

Fonte: Gospel Mais

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.