BUSCAR
BUSCAR
Vítima fatal
Palestino não resiste aos ferimentos e eleva número de mortos em Gaza para 17
Faris Al-Raqib, de 29 anos, foi ferido no estômago durante o protesto que reuniu milhares de palestinos; mortes de sexta, 30, representaram o dia mais violento desde 2014
Agência Estado
02/04/2018 | 17:39

Um palestino que foi baleado duas vezes na sexta-feira, 30, durante um protesto na Faixa de Gaza não resistiu aos ferimentos e o balanço da operação contra manifestantes por parte do exército israelense subiu para 17 mortos, anunciou o Ministério da Saúde do território palestino.

Faris Al-Raqib, de 29 anos, foi ferido no estômago durante o protesto que reuniu milhares de palestinos. As mortes de sexta-feira representaram o dia mais violento desde a guerra iniciada por Israel na Faixa de Gaza em 2014.

No domingo, o ministro da Defesa de Israel rejeitou os pedidos de uma investigação independente solicitada por ONU e União Europeia (UE) sobre a violência registrada durante o protesto, no qual cerca de 1,4 mil ficaram feridos.

“Fizeram o que tinham de fazer. Acredito que nossas tropas merecem reconhecimento. E não haverá investigação”, disse o ministro da Defesa do país, Avigdor Lieberman. “A maioria era terrorista”, completou ele, garantindo que 10 dos 15 mortos eram membros do movimento islâmico Hamas, que governa Gaza.

Milhares de palestinos participaram da chamada Marcha do Retorno, a primeira de uma série de manifestações programadas para durar seis semanas.

O Exército israelense afirma que os manifestantes lançaram objetos incendiários contra as tropas e ultrapassaram o limite de 300 metros estabelecido na fronteira, uma área restrita. Por isso, os militares teriam respondido com munição real e gás lacrimogêneo.

Os palestinos, por outro lado, acusam os soldados de atirar contra manifestantes que não representavam nenhuma ameaça.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.