BUSCAR
BUSCAR
Foi condenado
Morre aos 90 anos Reynaldo Bignone, o último ditador da Argentina
Condenado por crimes contra a humanidade, Bignone comandou o país entre 1982 e 1983 e durante sua presidência o país foi derrotado pelo Reino Unido na Guerra das Malvinas
Estadão
07/03/2018 | 12:18

Morreu nesta terça-feira, 7 aos 90 anos, o ex-ditador argentino Reynaldo Bignone, o último presidente da ditadura militar (1978-1983), informaram os diários Clarín e La Nación.

Bignone comandou o país entre 1982 e 1983 e durante sua presidência o país foi derrotado pelo Reino Unido na Guerra das Malvinas.

Ex-ditador e general Reynaldo Bignone foi condenado em 2014 a 25 anos de prisão pelo roubo de filhos de presos políticos durante a última ditadura militar no país (1976-1983).

Foi a sexta condenação acumulada por Bignone, o último ditador do regime. Além de duas penas perpétuas, ele já cumpre uma condenação de 25 anos de prisão e outra de 15 anos. Entre os diversos crimes, o ex-ditador, esteve envolvido no sequestro de bebês, torturas e assassinatos de civis e roubo de bens.

Em março do ano passado, Bignone foi condenado por crimes contra a humanidade.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.