BUSCAR
BUSCAR
Aquecimento Global
Derretimento da camada de gelo da Groenlândia se tornou irreversível, diz estudo
A camada de gelo da Groenlândia despeja mais de 280 bilhões de toneladas métricas de gelo derretido no oceano a cada ano
CNN Brasil
15/08/2020 | 08:53

A camada de gelo da Groenlândia derreteu a um ponto sem volta, e os esforços para desacelerar o aquecimento global não vão impedir que ela se desintegre. Essas são as conclusões de um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio.

“A camada de gelo está agora neste novo estado dinâmico, onde mesmo se voltássemos a um clima mais parecido com o que tínhamos há 20 ou 30 anos, ainda estaríamos perdendo massa rapidamente”, disse Ian Howat, co-autor do estudo e um professor da Universidade do Estado de Ohio.

A camada de gelo da Groenlândia despeja mais de 280 bilhões de toneladas métricas de gelo derretido no oceano a cada ano, tornando-se o maior contribuinte individual para o aumento do nível do mar global, de acordo com Michalea King, principal autora do estudo e pesquisadora da Ohio State University.

A perda de gelo foi tão grande nos últimos anos, disse ela, que causou uma mudança mensurável no campo gravitacional sobre a Groenlândia.

O derretimento do gelo na Groenlândia contribui para a elevação do nível do mar em mais de um milímetro a cada ano, e isso provavelmente vai piorar. Prevê-se que os níveis do mar aumentem mais de 3 pés (cerca de 1 metro) até o final do século, destruindo praias e propriedades costeiras.

Estados costeiros como a Flórida e nações insulares baixas são particularmente vulneráveis. Apenas 3 pés de elevação do nível do mar podem colocar grandes áreas da costa debaixo d’água. Estima-se que 40% da população dos Estados Unidos resida em áreas costeiras vulneráveis ao aumento do nível do mar.

“Há muitos lugares, especialmente na Flórida, onde um metro sozinho cobriria muitas áreas de terra existentes”, disse King. “E isso é exacerbado quando você tem tempestades e furacões e coisas assim, que causam um aumento extra em cima de uma linha de base mais alta.”

O estudo também descobriu que o manto de gelo está recuando em rápidas explosões, levando a uma subida repentina e imprevisível do nível do mar, tornando difícil se preparar para os efeitos.

O estudo usou quatro décadas de dados de satélite para medir as mudanças na camada de gelo da Groenlândia. Os autores descobriram que, após 2000, o manto de gelo encolheu tão rapidamente que o reabastecimento da neve não acompanharia a taxa de derretimento de partes da geleira recém-expostas às águas oceânicas mais quentes, mesmo se as mudanças climáticas fossem revertidas.

Costas inteiras de gelo estão recuando de uma vez devido à mudança climática, disse Howat, acrescentando que todas as 200 geleiras que compõem a camada de gelo da Groenlândia foram observadas recuando no mesmo episódio.

Mesmo que o recuo do manto de gelo da Groenlândia provavelmente não possa ser revertido, é apenas o primeiro de uma série de pontos de inflexão. Se a mudança climática continuar nesse ritmo, a taxa de degelo ficará muito pior.

“Passamos do ponto sem volta, mas obviamente há mais por vir”, disse Howat. “Em vez de ser um único ponto de inflexão no qual passamos de uma camada de gelo preservada para uma camada de gelo em rápido colapso, é mais uma escada onde caímos do primeiro degrau, mas há muitos outros degraus para descer.”

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.