BUSCAR
BUSCAR
Internacional
Covid: Austrália decreta estado de desastre e reforça medidas de restrição
Melbourne, que está em lockdown, terá toque de recolher das 20h às 5h e pessoas que desrespeitarem alerta poderão ser multadas e presas.
Redação
02/08/2020 | 12:49

O governo regional do estado de Victoria, na Austrália, anunciou neste domingo (2) novas medidas mais restritivas para combater a propagação do coronavírus, cuja segunda onda de infecções está progredindo em Melbourne.

As restrições, incluindo o toque de recolher noturno em Melbourne das 20h às 5h, entrarão em vigor a partir da meia-noite de hoje e um estado de desastre será declarado em Victoria por seis semanas (até o dia 13 de setembro ). O chefe do governo regional, Daniel Andrews, disse em entrevista coletiva que nas últimas 24 horas 7 pessoas morreram e outras 671 foram infectadas pelo novo coronavírus.

Muitos dos novos casos são infecções locais de origem desconhecida, o que preoucupa as autoridades, que decidiram aplicar medidas mais radicais. “Se não tomarmos essas medidas, veremos mais e mais casos”, disse Andrews.

Medidas mais radicais

O estado de desastre (além do estado de emergência já em vigor) concede maiores poderes à polícia e permite que as pessoas que ignorarem o toque de recolher sejam presas e multadas. “As ordens atuais evitaram milhares de infecções diárias, milhares de pessoas que não foram ao hospital e muitas tragédias. Mas elas não estão agindo rápido o suficiente por muitas razões”, argumentou o político ao anunciar as novas restrições.

Além disso, os movimentos dos residentes de Melbourne, a segunda cidade mais populosa do país e com cerca de 5 milhões de habitantes, serão limitados. A cidade está em lockdown até o dia 19 de agosto e o uso obrigatório de máscaras pode ser ampliado. Andrews também anunciou que na segunda-feira anunciará novas restrições para as atividades de trabalho.

Os casos em Victoria representam cerca de 60% do total de 18 mil casos de coronavírus detectados em todo o país desde o início da pandemia, além das mais de 200 mortes. No estado vizinho, Nova Gales do Sul, que mantém fechada a fronteira interna com Victoria, 12 novos casos também foram confirmados no domingo e a expansão do coronavírus para seu território é preocupante.

Nova onda de infecções


O país oceânico, que administrou com sucesso a primeira onda de infecções, mas enfrenta desde o início de julho um aumento nos casos importados e uma série de falhas em hotéis habilitados para viajantes que voltaram do exterior e que deveriam seguir quarentena obrigatória de 2 semanas.

*As informações são da EFE como o R7

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.