Olimpíadas
Adiamento dos Jogos podem causar um custo adicional de R$ 13 bilhões para Tóquio
Um gasto previsto será com as arenas; vendas dos ingressos também envolvem muito dinheiro
Por Estadão Conteúdo - Publicado em 25/03/2020 às 19:56

O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio podem acarretar um custo adicional de US$ 2,7 bilhões (cerca de R$ 13 bilhões). A informação foi dada, nesta quarta-feira (25), pelo jornal japonês especializado em economia “Nikkei”.

“Com certeza haverá custos. O valor, contudo, não sabemos agora. E quem vai pagar isso? Não preciso dizer que não serão discussões fáceis e não sabemos quanto tempo vão durar”, afirmou Toshiro Muto, CEO do Comitê Organizador de Tóquio 2020.

Segundo Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional, em uma teleconferência nesta quarta, o primeiro-ministro Shinzo Abe se responsabilizou por resolver o problema.

“Vai ser um custo adicional para os japoneses. Mas o primeiro-ministro Abe se comprometeu a fazer tudo o que for preciso. Todos foram impactados, jornalistas, atletas. Temos de fazer desses Jogos um símbolo de união”, disse o dirigente alemão.

Um dos gastos previstos será com as arenas a serem utilizadas durante os Jogos. “Elas precisam de pelo menos um ano para ficarem prontas. Não podemos devolvê-las e pegar de volta só para a Olimpíada. Isso significa custo extra”, disse Toshiro Muto.

Outra renegociação deve ser feita em relação à Vila dos Atletas, cujos muitos dos 5.632 apartamentos já foram vendidos por até US$ 1 milhão (R$ 5,1 milhões).

A venda de ingressos também envolve muito dinheiro. Foram colocados à disposição dos fãs 7,8 milhões de bilhetes, que vão proporcionar um ganho de US$ 1 bilhão (R$ 5,1 bilhões). Compradores poderão pedir o dinheiro de volta por causa do adiamento.