BUSCAR
BUSCAR
Saúde bucal
UFRN desenvolve nova tecnologia na área de implante dental
Novo aparelho tem o potencial de eliminar os erros de posicionamento dos implantes e, consequentemente, as medidas não fidedignas
Redação
10/06/2020 | 18:26

Uma tecnologia desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) consegue padronizar registros radiográficos no acompanhamento, ao longo do tempo, de reabilitações da arcada dentária quando se faz uso de implantes. O produto é resultado de um depósito de pedido de patente pela UFRN e é formado por um conjunto composto de três componentes básicos: um anel-guia com encaixe do tipo fêmea, uma haste rígida com pino de encaixe do tipo macho e marcador móvel de registro oclusal.

Segundo a cientista Adriana da Fonte Porto Carreiro, uma das inventoras do equipamento, o novo aparelho tem o potencial de eliminar os erros de posicionamento e, consequentemente, as medidas não fidedignas. “A longevidade da reabilitação oral implantossuportada está diretamente relacionada ao correto planejamento e à adequada realização dos procedimentos cirúrgicos e protéticos. Assim, ao permitir uma melhor padronização do posicionamento geométrico do conjunto implante, filme radiográfico e aparelho de raio-X, o uso do dispositivo melhora a avaliação comparativa entre radiografias, o que afasta a influência de possíveis interferências causadas pela diferença de posicionamento das películas radiográficas”, explicou.

O uso de próteses implantossuportadas tem grande sucesso em casos de perda de elementos dentais. As sequências corretas dos procedimentos cirúrgicos indicados em cada caso estão diretamente relacionadas ao sucesso do tratamento e se constituem sempre em desafios aos cirurgiões. Esse novo dispositivo permite um melhor diagnóstico e um melhor controle do tratamento a longo prazo de pacientes reabilitados com implantes feitos com essa espécie de prótese. “Até mesmo de qualquer especialidade da odontologia que necessite de avaliação periódica com radiografias”, frisa a docente do Departamento de Odontologia da UFRN.

Denominado Dispositivo radiográfico para padronização do posicionamento geométrico do implante, a invenção é fruto de estudo científico vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Odontológicas da UFRN. Tem como autores, além de Adriana, as pesquisadoras Maria de Fátima Trindade Pinto Campos, Ana Larisse Carneiro Pereira e Rodrigo Falcão Carvalho Porto de Freitas, além de Ana Clara Soares Paiva Tôrres, esta última docente da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN).

O depósito do pedido da patente passa a integrar o portfólio de ofertas tecnológicas da UFRN, disponível para acesso no endereço ww.agir.ufrn.br. O diretor da Agência de Inovação da UFRN (AGIR), Daniel de Lima Pontes, explicou que as orientações e explicações a respeito dos aspectos para patentear uma determinada invenção são dadas na própria AGIR, unidade localizada no prédio da Reitoria. Durante o período de suspensão do atendimento presencial, contudo, as demandas devem ser enviadas para o e-mail [email protected]

Para Adriana Carreiro, o processo de patenteamento evidencia o papel da Universidade na criação de soluções para resolver problemas nas diversas áreas. “Com a mudança de posição em relação à incompatibilidade entre ciência pura e aplicada e a aceitação crescente da responsabilidade do cientista pela solução de problemas sociais e econômicos, a produção de inovações comerciáveis, como resultados de pesquisa acadêmica, tornou-se uma realidade”, conclui.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.