BUSCAR
BUSCAR
Transporte
Seturn pede que Sintro-RN “retroceda” e desista de realizar greve
Em nota, o Seturn afirma que o Tribunal Regional do Trabalho pode tomar medidas cabíveis caso ônibus não circulem. Greve dos rodoviários de Natal está prevista para segunda-feira (22)
Redação
19/06/2020 | 19:13

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Natal (Seturn) requisitou, através de nota publicada nesta sexta-feira (19), que o Sindicato dos Trabalhadores e Transportadores Rodoviários do RN (Sintro) retroceda e deixe de realizar a greve do transporte público, programada para a próxima segunda-feira (22).

Em nota, o Seturn pede “ao Sintro a compreensão da quadra histórica em que vivemos para que retroceda na realização da greve ou, pelo menos, cumpra sua função social e na próxima segunda-feira (22) permita a circulação da quantidade de veículos indicada pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU)”.

O Seturn também indica que “uma paralisação neste momento apenas acelerará a falência do setor, provocando a perda definitiva de todos os empregos e a convulsão do sistema de transporte público municipal. Caso o Sintro não cumpra as diretrizes da Lei de Greve, o Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região deverá aplicar as medidas cabíveis”.

43% da frota

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) determinou ao Sindicado das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Natal (Seturn) que viabilize a circulação de 43% da frota de ônibus da capital, ou seja, 254 veículos durante a greve dos trabalhadores do sistema prevista para segunda (22).

Requisições

A motivação para paralisação dos rodoviários de Natal é a falta de pagamento do vale alimentação e plano de saúde dos profissionais que trabalham no transporte público na capital potiguar. A última greve geral da categoria aconteceu em 2016. À época, a categoria deve manter 30% da frota funcionando.

O Sintro tem exigido o cumprimento de garantias da data-base para a categoria e o fim das demissões de trabalhadores no setor. Os protestos da categoria começaram em maio. As solicitações são os cumprimentos das garantias da data-base, além da restauração dos planos de saúde e vale-alimentação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.