BUSCAR
BUSCAR
Cidadania
Em Natal, inclusão de deficientes visuais ainda é considerada desafio
Capital está em 14º lugar em uma avaliação de mobilidade, de acordo com a campanha “Calçadas do Brasil 2019”
Pedro Trindade
17/12/2019 | 18:06

No seu dia a dia, o presidente da Sociedade dos Cegos do Rio Grande do Norte (SOCERN), Ronaldo Tavares, diz enfrentar muitos problemas para exercer o seu direito de locomoção em Natal.

Com deficiência visual, Ronaldo não encontra na cidade uma estrutura adequada que o ajude a exercer o direito de ir e vir livremente. “Não é raro vivenciar a obstrução do passeio público. Muitas vezes temos bancas de lojas no meio do caminho, orelhão, carros estacionados na calçada, além da falta de padrão delas”, afirma.

A Norma Técnica 9050 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) dispõe sobre políticas públicas de acessibilidade, como arquiteturas com rampas, uso de corrimãos e pisos diferenciados, a exemplo do piso tátil.

A reivindicação do presidente da SOCERN é que as normas e leis sejam aplicadas. “Queremos que os gestores nos trate como políticas públicas, e não como eleitores. É preciso que avance o debate da acessibilidade para se ter uma cidade inclusiva, com justiça social e projetos mais humanizados”, enfatiza.

Ainda de acordo com Ronaldo Tavares, Natal possui apenas cinco sinais de trânsito com sinalização sonora e dez paradas com identificação em braile. Por isso, ele julga necessário dar condições mais igualitárias através de investimentos no método braile, desde a fase escolar até a estrutura de paradas, calçadas e sinais de trânsito.

“Não basta matricular, tem que ter investimentos para proporcionar a acessibilidade plena. Investir no braile, que é nosso único método de leitura. Deus foi tão bom conosco, que nos deu o poder de tocar as palavras. O braile é nossa redenção. Nossa porta de passagem para cidadania”, comenta.

Além da democratização do braile, Ronaldo Tavares acredita que é necessário investir em mais campanhas de conscientização contra a cegueira, como o Abril Marrom, visto que 882 mil potiguares possuem alguma deficiência, totalizando 27,8% da população estadual, de acordo com o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Destes, 6.929 pessoas tem deficiência visual.

Em setembro deste ano, Natal teve avaliação 5,78 em relação a qualidade de suas calçadas, pouco a mais da média nacional de 5,71, numa escala de 0 a 10, onde o mínimo aceitável seria a nota 8, de acordo com o relatório final da campanha “Calçadas do Brasil 2019”, que utilizou o Índice de Caminhabilidade (iCam), uma ferramenta para avaliar as vias do Rio de Janeiro, a qual conta com 21 indicadores.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.