BUSCAR
BUSCAR
Ciência
Descoberta tecnológica da UFRN resulta em melhoria para sistemas de inteligência artificial
Tecnologia consiste em um sistema automático que permite estimar o número de pessoas do ambiente sem intervenção humana
Redação
18/06/2020 | 16:56

Um sistema automático de contagem do número de pessoas é a mais nova invenção da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com depósito de pedido de patente já realizado. Fruto de parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a tecnologia consiste em um sistema automático que permite estimar o número de pessoas do ambiente sem intervenção humana e sem a necessidade dos indivíduos do ambiente transitarem entre ou na frente de sensores ou antenas.

“Existem outras patentes que protegem dispositivos similares, mas são baseados em sensores de distância, disponibilizando dispositivos que contabilizam o número de pessoas que entram e saem em um ambiente. Tais dispositivos falham quando o ambiente já está ocupado antes do início de sua operação ou quando não existem sensores instalados em todas as entradas e saídas do ambiente.”, explicou Vicente Sousa, professor da UFRN. Ao lado dos cientistas Álvaro Medeiros, Millena Campos, Tarciana Guerra, Pedro Maia, Thiago Scher e Mateus Mattos, compõe o grupo de autores desta patente.

Segundo o grupo, é de amplo conhecimento que sinais de Radiofrequência são utilizados para modular informações que podem ser recuperadas a curta e longa distâncias por aparelhos receptores dotados de um aparato especializado de processamento de sinais. Ademais, as características que diferenciam o sistema dos demais se dão pela circunstância do uso de técnicas de inteligência artificial para detectar a variação de ondas de Radiofrequência em um ambiente já populado, permitindo a associação da variação da onda com o número de pessoas do ambiente.

“O sinal utilizado é uma portadora senoidal de frequência única, dispensando o uso de raios ultrassônicos, radares ou sinais de Radiofrequencia mais elaborados, tais como Wi-Fi ou celular, barateando o custo do hardware envolvido. O sistema realiza seu objetivo de maneira não invasiva e silenciosa”, pontuou Millena Campos, cujo objeto da dissertação de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e de Computação (PpgEEC) foi o inicio do desenvolvimento da invenção.

Os patenteadores realizaram a primeira divulgação da ideia central do pedido de patente no artigo intitulado “RF-Based Machine Learning Solution for Indoor Person Detection”. A divulgação ocorreu em abril de 2019, no Wireless Telecommunications Symposium (WTS2019) em Nova Iorque. Além disso, um teste de uma versão aperfeiçoada do sistema foi divulgado em artigo científico intitulado “RF-Driven Crowd-Size Classification via Machine Learning”, cuja divulgação aconteceu na revista IEEE Antennas and Wireless Propagation Letters, publicação com classificação máxima de impacto pela CAPES.

Números recordes em Propriedade Intelectual em 2019

O depósito do pedido desta patente passa a integrar o portfólio de ofertas tecnológicas da UFRN, disponível para acesso no site. A Instituição fechou 2019 com números recordes relativos à Propriedade Intelectual. De acordo com levantamento realizado pela Agência de Inovação (AGIR), os números de Programas de Computador depositados e as Marcas depositadas, respectivamente 41 e 18, suplantaram os registros dos anos anteriores, enquanto que os 31 Pedidos de Patente em 2019 igualaram os dados de 2017 e 2015. Contudo, as patentes efetivamente concedidas foram o destaque, pois a UFRN, desde a sua primeira concessão, em 2014, até 2018, recebeu nove patentes. Apenas em 2019, esse número saltou para 12.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.