BUSCAR
BUSCAR
Dicas
Cuidados com os animais de estimação em tempos de pandemia
Pets necessitam de atenção especial durante o período de isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus e, com isso, os tutores têm de tomar precauções para mantê-los saudáveis
Redação
20/05/2020 | 06:00

Afagar um animal de estimação parece ser um antídoto muito eficiente para encarar os dias de distanciamento social. No entanto, os cães e gatos também carecem de maior atenção durante os dias de quarentena, pois, da mesma forma que os tutores humanos, também precisam ficar isolados. Veja dicas para cuidar melhor dos pets durante este período:

Alimentação

Não é recomendável a alteração na alimentação. Mesmo que o animento ganhe uns quilos, por sair menos de casa, não é hora de se preocupar.
Mas é bom cuidar dos animais que têm tendência a engordar. É preciso adequar a quantidade de comida e evitar dar petiscos extras.

Passeio só para as necessidades

Se o pet não consegue fazer xixi ou cocô dentro de casa, o passeio precisa ser o mais rápido possível, apenas para essa função.

Se o pet está acostumado a fazer sobre um tapete higiênico ou numa caixa, o ideal é não sair de casa em hipótese alguma, segundo as informações dos gestores públicos.

Há cães que sentem muita falta dos passeios. Se for o caso, procure diminuir a frequência e escolha melhor os horários. Por exemplo, dia sim, dia não, bem cedo da manhã ou à noite.

É essencial evitar contato com outros humanos. Evite que outras pessoas passem a mão no cachorro. Por mais que ele não se infecte, pode levar o vírus para dentro de casa. No retorno, é importante que se higienize as patas do pet com álcool gel, álcool 70%, água e sabão ou o próprio shampoo do banho dele. Faça a higienização logo na entrada da casa.

A hora do banho
O banho do pet em casa é fundamental, sempre com água morna. Se possível, leve o animal para o box do banheiro.

Depois do banho, é preciso secá-lo e escová-lo. O banho é recomendado com a mesma periodicidade que ele tomava antes da quarentena. Deve-se manter a regularidade.

Deve-se utilizar apenas os produtos recomendados para a espécie. Se não for possível usar o mesmo produto usado na pet, focar em produtos neutros (sem cheiro) para evitar alergias.

Como ajudar a minimizar o estresse

Se achar que o pet está agindo de uma forma diferente, o ideal é falar com um veterinário, de preferência que já conheça o animal, ou, em alguns casos, ligar para alguma clínica e levá-lo em uma emergência.

Para minimizar o estresse, um dos truques é a escovação, que pode agradar e acalmar tanto gatos quanto cachorros.

Também é importante manter o animal ativo e estimular brincadeiras, mesmo que dentro de casa.

A interação mais intensa entre o dono e o animal, durante a quarentena, ajuda a reduzir a possibilidade de ansiedade de ambos.

Para animar as atividades dentro de casa, além de utilizar os brinquedos que os pets estão acostumados, é possível usar garrafas de plástico vazias ou com algo dentro para eles morderem ou ficarem balançando.

Podem ser usados ainda petiscos indicados para o tamanho e a espécie.
Brincar de pedir para sentar ou deitar ou de se esconder também podem ser feitas dentro de casa. É para entreter o animal e deixá-lo mais ativo.

Veterinários e pet shops

A recomendação atual do Conselho Federal de Medicina Veterinária é levar o animal ao veterinário, neste período de quarentena, só em casos de urgência. Ligue antes para a clínica.

Devem ser evitados todos os procedimentos que são por agendamento – vacinação, consulta por problema de pele, banho e tosa ou cirurgia.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.