BUSCAR
BUSCAR
Crime
Cosern desativa 24 “gatos” de energia elétrica na Zona Oeste de Natal
Outra ligação clandestina foi desativada e homem foi preso nesta quarta-feira, 14, no município de Doutor Severiano
Redação
14/01/2020 | 17:26

Equipes técnicas da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), com apoio da Polícia Militar, identificaram e desativaram 25 ligações clandestinas de energia elétrica, conhecidas como “gato”, na manhã desta quarta-feira, 14. Só na Zona Oeste de Natal, foram 24 desligamentos. Já no município de Doutor Severiano, no Oeste potiguar, houve um desligamento.

Os 24 “gatos” foram todos encontrados na rua Cruzeiro do Sul, no bairro de Felipe Camarão. A ligação clandestina do município de Doutor Severiano foi identificada em um plantio irrigado de cana-de-açúcar. O responsável pelo plantio irrigado foi preso em flagrante pela PM e conduzido para prestar depoimento na delegacia de São Miguel.

Crime

O “gato” de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal e a pena para o responsável pela fraude pode chegar a oito anos de reclusão. Ao longo de todo o ano de 2019, 14 pessoas foram presas em flagrante pela polícia em todo estado.

Neste mesmo período, o volume de energia recuperado pela Cosern com a “Operação Varredura” seria suficiente para abastecer, por exemplo, os municípios de São Gonçalo e Parnamirim, juntos, durante 30 dias (cerca de 331 mil residências).

Além de crime, o “gato” representa risco de morte a quem faz e a quem está próximo. A ligação clandestina também provoca perturbações no fornecimento de energia da região e pode provocar a queima de eletrodomésticos dos vizinhos.
 
A população pode denunciar as fraudes, de forma anônima e segura, no telefone 116.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.