BUSCAR
BUSCAR
Preparação
Treinos em casa e patrocínios congelados: as dificuldades dos paratletas potiguares durante a pandemia
A pandemia do novo coronavírus e o adiamento das Olimpíadas de Tóquio fizeram com que paratletas alterassem a rotina de treinamentos, além de obrigá-los a repensar meios para garantir renda e a própria subsistência durante a quarentena
Júnior Lins
11/05/2020 | 06:00

O Comitê Olímpico Internacional (COI) relutou, mas não teve outra opção, senão adiar os jogos Olímpicos e Paralímpicos para 2021. A pandemia do coronavírus conseguiu adiar dois dos maiores eventos esportivos do mundo. Deixar os atletas mais um ano em preparação tem benefícios e malefícios, principalmente quando se há distanciamento social, situação em que os atletas não podem usar o centro de treinamento.

A Sociedade Amigos do Deficiente Físico (Sadef) é a principal equipe paralímpica do Rio Grande do Norte e uma das mais importantes do país. Apesar de toda sua estrutura, o surto do coronavírus fez com que os paratletas tivessem que ficar em casa e se reinventar nos treinamentos, para manter o condicionamento físico, de olho nos Jogos em 2021.

De acordo com presidente da Sadef, Jackson Alexandre, a pandemia fez com que os paratletas da equipe iniciassem treinos em casa, com o intuito de manter o foco, para no retorno às atividades no centro de treinamento, não sofrer tanto para a readaptação à rotina normal.

“Devido à pandemia, tivemos que interromper nossos treinamentos na nossa sede. Os atletas têm feito o que podem, dentro do possível. Treinamento em casa, tudo para manter a atividade. Um atleta não pode parar de treinar, sabemos que ele perde rapidamente o condicionamento físico e engorda”, explicou.

Os paratletas da Sadef treinam no Centro de Atenção Integrada à Criança (Caic) do bairro de Lagoa Nova, na zona Sul de Natal. Além do espaço para os exercícios, a Sociedade também disponibiliza médicos, fisioterapeutas, preparadores e psicólogos para seus esportistas.

Para a manutenção desta estrutura, a equipe possui patrocinadores que a auxiliam. Segundo Jackson, mesmo com a crise, os patrocinadores optaram por não romper o vínculo com a Sadef, mas dar uma pausa, para após a pandemia permanecer com as contribuições para o esporte paralímpico no RN.

“Alguns patrocinadores congelaram o contrato, durante a pandemia. Graças a Deus, nenhum cancelou. Apenas deram uma pausa enquanto essa crise acontece. Temos como nosso principal patrocinador a Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern). Eles são grandes responsáveis pela manutenção da Sadef”, contou.

Na diretoria há dois anos, Jackson assumiu a presidência, após o antigo mandatário da equipe, Tercio Tinoco, ter saído do cargo para tentar a eleição para vereador da capital potiguar. Jackson Alexandre também é paratleta. Sem o movimento das pernas desde que foi atingido em um assalto, o atual presidente viu na natação seu retorno aos esportes, apesar da deficiência.

A dedicação não só o colocou na cadeira da presidencia da Sadef, como também já o fez conquistar diversos títulos nacionais e até internacionais.
“Assumi a presidência, mas já sou antigo na diretoria. Era vice-presidente de Tercio. Sou nadador. Tenho uma bagagem até internacional. Também estou ansioso para o término dessa pandemia, para poder retornar aos treinos normalmente”, afirmou.

Equipe Sadef

A equipe da Sadef conta atualmente com 191 paratletas, sendo a maioria oriunda de Natal, conforme informado pelo presidente. Os treinamentos são direcionados para oito modalidades: Halterofilismo, Tênis de Mesa, Tênis de Quadra, Bocha, Ciclismo, Atletismo, Natação e Futebol de Amputados.

De todos os paratletas, três são os mais próximos da convocação para disputar a Paralimpíada. Um deles, é o parahalterofilista Júnior França. Este ano, na Copa do Mundo de Halterofilismo, o potiguar foi campeão e conquistou o ouro na modalidade para atletas até 49 kg.

Júnior França, na ocasião, levantou 145kg em sua segunda tentativa. A marca superou o feito dos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019 em quatro quilos. Na capital peruana, o halterofilista também faturou o ouro.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.