BUSCAR
BUSCAR
Copa do Brasil
Presidente do ABC se reúne com CBF sobre renda em jogo contra o Vasco
Jogo gerou uma renda de R$ 1.117.032,00. Mesmo assim, partida teria apresentado um prejuízo de R$ 143.200,49
Redação
06/03/2020 | 19:50

O presidente do ABC, Fernando Suassuna, participou na tarde desta sexta-feira (6) de uma reunião com Gilnei Botrel, diretor financeiro da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O encontro aconteceu na sede da entidade, no Rio de Janeiro, e tratou do borderô de Vasco x ABC, jogo realizado nesta quinta (5) no Maracanã, pela 2ª fase da Copa do Brasil.

Acompanhado do diretor financeiro do clube, Gutemberg Costa, Fernando Suassuna contestou e solicitou esclarecimentos do ocorrido sobre o borderô da partida. Segundo números divulgados pelo clube carioca, o jogo contou com 29.903 pagantes, um público total de 31.839 torcedores, o que gerou uma renda de R$ 1.117.032,00. Mesmo assim, o confronto teria apresentado um prejuízo de R$ 143.200,49.

Para se chegar ao déficit, várias taxas e cobranças com valores fora da realidade e consideradas indevidas. O presidente alvinegro apresentou o borderô, mostrou borderôs passados de jogos do Vasco no Maracanã e argumentou sobre o fato. O gestor financeiro da CBF reconheceu a existência de erros no documento.

“Reunião finalizada aqui na CBF. O gestor financeiro que nos atendeu, falou que, de fato, existem erros grosseiros no borderô. Ele pediu para entrar com uma representação junto a FNF, que eles remetam aqui para a CBF, que será investigado. Constatando as falhas, o Vasco será penalizado”, explicou Gutemberg Costa.

O Departamento Jurídico do ABC já trabalha para realizar a representação na FNF, o que deve ocorrer na segunda-feira (9), e espera que a situação seja esclarecida e o que rege o Regulamento da Copa do Brasil seja cumprido.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.