BUSCAR
BUSCAR
Infecção
Jogador de clube italiano é diagnosticado com coronavírus
Jogador tem 22 anos e foi internado em um hospital em Siena assim que a doença se manifestou
Redação
28/02/2020 | 04:25

Com mais de 520 casos confirmados de coronavírus na Itália, o Covid-2019 chegou nesta quinta-feira ao futebol profissional do país. Um jogador da Pianese, que disputa a Série C, foi diagnosticado com a doença. O atleta, que não teve o nome revelado, mora na pequena cidade de Abbadia San Salvatore, na região da Toscana. Ele teria contraído o vírus em uma viagem para visitar os pais que moram na Emilia-Romagna.

O jogador tem 22 anos e foi internado em um hospital em Siena assim que a doença se manifestou. Segundo informações oficiais, ele está em boas condições de saúde e em observação. Os sintomas no atleta começaram aparecer no sábado, dia 22, um dia antes do jogo contra a Juventus B, pela 27ª rodada da Série C.

Apesar de ter tido contato com os companheiros de equipe, ele não entrou em campo para a partida. A Pianese é uma equipe da cidade de Piancastagnaio, na Toscana, mas desde o início da temporada manda seus jogos em Grosseto. O time é o vice-lanterna da Chave A da Série C do Campeonato Italiano.

O coronavírus também atrapalhou o trabalho do técnico italiano Giuseppe Sannino no Honvéd, da Hungria. O tradicional time do país resolveu afastar temporariamente o treinador e seu auxiliar, Alessandro Recenti, de suas funções. “Eles podem ter entrado em contato com pessoas que moram nas áreas afetadas pelo coronavírus. Os treinadores italianos não mostraram nenhum sintoma, mas eles não participaram do treinamento e não estarão presentes no jogo de sábado por precaução”, explicou o Honvéd em nota.

Para o duelo com o Diósgyöri, o Honvéd será comandado pelo ex-jogador István Pisont. O time é o quinto colocado do Campeonato Húngaro.

Os golfistas italianos Edoardo Molinari e Lorenzo Gagli estão em quarentena em Omã também por causa da epidemia de coronavírus. Os dois atletas foram isolados em decorrência de uma gripe que Gagli contraiu na semana passada. Eles estão no país asiático para a disputa da terceira edição do Open de Omã, na cidade de Mascate.

“Estou bem. Não tenho nenhum dos sintomas, nem febre nem frio. Estou muito entediado e irritado. Espero que esse pesadelo termine em breve”, escreveu Molinari em suas redes sociais. Nesta quinta-feira, o teste de coronavírus que Gagli fez deu negativo, disseram fontes para a agência de notícias Ansa. Os dois golfistas italianos deverão disputar o torneio normalmente a partir desta quinta-feira.

“É uma decisão inexplicável, pois se houvesse risco de contágio, eles teriam de isolar dezenas de jogadores e cancelar o torneio”, afirmou Gagli.

A Federação Internacional de Basquetebol (Fiba) anunciou que a partida entre Reyer Venezia e Riga, da Letônia, pela Liga dos Campeões feminino da modalidade, foi cancelada em decorrência do coronavírus. O clube letão já tinha comunicado que não queria enfrentar o clube italiano, mesmo que o jogo seria disputado em Liubliana, na Eslovênia.

Calendário

Na China, as autoridades que tentam conter a disseminação do coronavírus adiaram o início da temporada de futebol por meses, e pelo menos uma equipe da primeira divisão está isolada no Oriente Médio há semanas, impedida de retornar dos treinos de pré-temporada.

Na Coreia do Sul, os torcedores que compareceram a partidas no início deste mês foram examinados para verificar se tinham febre, antes de poderem entrar nos estádios. No Japão, as máscaras eram presentes nas arquibancadas até a última terça-feira, quando as autoridades anunciaram que não haverá jogos da liga até, pelo menos, meados de março.

Os efeitos do coronavírus sobre o calendário global do futebol ultrapassaram as fronteiras. Há três semanas, a Confederação de Futebol da Ásia anunciou que os jogos de seu maior campeonato, com equipes chinesas, não seriam disputados por vários meses, e o Vietnã proibiu a realização de eventos esportivos de qualquer tipo este mês, pressionando ainda mais a programação.

Agora, a perturbação se espalhou para a Europa. Na Itália, onde o número de casos confirmados de coronavírus se aproximava de 300 na terça-feira, pelo menos um jogo – a segunda etapa de um mata-mata entre a Inter de Milão e o Ludogorets da Bulgária, pela Liga Europa – será disputado a portas fechadas, pois as autoridades continuam restringindo aglomerações públicas na região da Lombardia. A decisão de fazer o jogo sem torcida ocorreu depois que as autoridades italianas adiaram quatro jogos da liga no fim de semana passado.

A Inter de Milão disse que a decisão foi resultado de vários dias de conversas com autoridades de saúde da Lombardia e com o órgão que administra o futebol europeu, a Uefa, sobre como organizar o jogo, que não pôde ser cancelado por falta de datas alternativas. Acredita-se que a partida contra o Ludogorets seja o primeiro jogo de futebol europeu disputado a portas fechadas por causa de uma crise de saúde. Geralmente, essas condições são impostas às equipes como punição por violência dos torcedores ou episódios de racismo.

A Inter, propriedade de uma empresa chinesa, já estava tomando medidas para minimizar os riscos do vírus para os funcionários. Empregados não essenciais foram instruídos a trabalhar de casa, e o clube comprou para a sede da equipe estoques de máscaras faciais e desinfetante para as mãos.

A decisão de prosseguir com a partida desta quinta-feira no estádio San Siro foi confirmada na terça-feira.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.