BUSCAR
BUSCAR
Representantes
Entre Olímpicos e Paralímpicos, cinco potiguares foram contemplados no Bolsa-Atleta
Dentre os 6.248 atletas selecionados pelo Ministério do Esporte, com chances de medalhas olímpicas ou paralímpicas, apenas cinco são representantes do Rio Grande do Norte
Redação
27/01/2020 | 02:30

Entre Olímpicos e Paralímpicos, cinco atletas do Rio Grande do Norte foram contemplados pelo programa Bolsa-Atleta, do Ministério da Educação (ME), conforme foi publicado no Diário Oficial da União, no dia 30 de dezembro de 2019. Os esportistas selecionados são os que tem chance de classificação para os jogos, ou já são medalhistas.

Dentre os potiguares, apenas o surfista Ítalo Ferreira disputa a modalidade olímpica. Abner Nascimento, Adriano Gomes, Halyson Oliveira e Terezinha Mulato, representam o RN na disputa pelo ouro nos Jogos Paralímpicos, que acontecerão do dia 25 de agosto até 6 de setembro, neste ano.

Ao todo, 6.248 atletas foram contemplados. Ítalo Ferreira não teve seu nome relacionado na lista, devido ao surfe ser uma nova modalidade nos Jogos e ele passar a receber apenas após sua classificação.

O Bolsa-Atleta é um programa do Governo Federal, gerido pelo ME, para garantir a manutenção pessoal aos atletas de alto rendimento que não têm patrocínio. O programa dá as condições necessárias para que eles se dediquem ao treinamento esportivo e possam participar de competições que permitam o desenvolvimento de suas carreiras. O atleta se inscreve no programa e, se for selecionado pelo ME, passa a receber mensalmente, pelo período de um ano, um auxílio financeiro creditado em conta.

O benefício é destinado a praticantes do desporto de rendimento em modalidades olímpicas e paralímpicas, e também nas modalidades vinculadas aos Comitês Olímpico e Paralímpico Internacionais. Também serão consideradas as modalidades não-olímpicas e não-paralímpicas para a concessão do benefício pleiteado por atletas de reconhecido destaque, nas categorias estudantil, nacional ou internacional.

Dependendo da categoria do atleta, o valor sofre uma variação. A menor quantia é destinada à atletas estudantis e de base, que recebem R$ 370 mensais. Já o maior valor é destinado para os atletas que já subiram no pódio, que pode ser de até R$ 15 mil por mês. Atletas Olímpicos e Paralímpicos recebem R$ 3.100 mensalmente.

Dos quatro que estarão nas Paralimpíadas, só Halyson não é de Natal. O judoca, de 38 anos, oriundo de Parnamirim, é deficiente visual e foi sétimo lugar no Parapan de Toronto, em 2015, e é visto como uma das esperanças do Brasil para os Jogos.

Terezinha Mulato é outra potiguar que está na lista. Cadeirante por sequelas de poliomelite, Terezinha foi a primeira mulher halterofilista a competir pelo Brasil oficialmente, quando a categoria feminina estreou em Jogos Paralímpicos, em Sydney 2000, ela estava lá. Nos Jogos do Rio, em 2016, ela terminou em 5º.

O nadador Adriano Gomes é mais um que é considerado como aposta para conseguir a classificação nos Jogos. Na sua última participação, em 2015, ficou em 4º lugar, nas provas que disputou.

Abner Nascimento é o único potiguar que recebeu ouro no Parapan, dentre os que estão na lista. O atleta conquistou a medalha dourada no Judô para cegos, nos Jogos de Toronto, em 2015.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.