BUSCAR
BUSCAR
Retorno
Campeonato Espanhol volta nesta quinta após 92 dias de paralisação
Confronto entre Sevilla e Betis marca o reinício da liga. Barcelona de Messi e Suárez é o líder, com o Real Madrid de Hazard apenas dois pontos atrás
Globo Esporte
11/06/2020 | 09:42

O Campeonato Espanhol está de volta. O jogo que marca o recomeço da competição é “El Gran Dérbi”(o grande clássico), entre Sevilla e Betis, nesta quinta-feira, às 17h (horário de Brasília), no Estádio Ramón Sánchez Pizjuán. O confronto com mais de 100 anos de rivalidade, considerado o maior clássico regional do país, dá o tom de como deve ser a retomada da liga: ritmo frenético e muita disputa.

– Por mim, acho ótimo. Voltar a fazer o que a gente ama, que é jogar futebol, é algo maravilhoso. E voltar enfrentando nosso maior rival é melhor ainda. Isso dá ainda mais motivação para todos os envolvidos, tantos nós como eles – comentou o lateral-direito Emerson Royal, do Betis, que está em 12º lugar na tabela, com 33 pontos.

A situação do Sevilla no campeonato é melhor: terceiro lugar, com 47 pontos, atrás dos favoritos Barcelona e Real Madrid. Mas a vaga na próxima Liga dos Campeões não está tão certa (o Atlético de Madrid, em sexto, tem 45). Além disso, o grupo foi abalado pelo episódio polêmico em que jogadores furaram as regras de quarentena na Espanha.

– Acredito que todo mundo teve consciência do que estávamos passando. O país todo sofreu muito com a pandemia. Acompanhamos na TV coisas muito tristes que tenho certeza que fizeram com que todos colocassem a mão na consciência. Todo mundo se esforçando ao máximo para que o risco de contágio não aumentasse – afirmou o zagueiro Diego Carlos, do Sevilla.

O mandante no clássico vive a expectativa de poder contar com seu principal destaque, o atacante Lucas Ocampos, que sofreu uma lesão muscular no último fim de semana. Ele é o artilheiro do time na liga, com 10 gols. Por outro lado, o técnico Joan Francesc Ferrer Rubi confirmou que as únicas baixas do Betis serão Juanmi e Javi García.

As outras partidas da 28ª rodada do Campeonato Espanhol serão disputadas sexta, sábado e domingo. Por causa da pandemia do coronavírus, a competição foi suspensa no dia 12 de março. Ou seja, 92 dias de “balón parado”. Faltam 11 rodadas para o encerramento, e a previsão é que isso ocorra nos dias 18 e 19 de julho.

Barça e Real “reforçados” para a reta final

O Barcelona é o líder do Campeonato Espanhol, com 58 pontos. Nos últimos dias, o time viveu o receio de não poder contar com o seu principal astro, Lionel Messi, por causa de uma lesão muscular na coxa direita. Mas o craque argentino se recuperou bem e está em “perfeitas condições”, segundo o técnico Quique Setién. Ele é o artilheiro da liga, com 19 gols, e é quem tem mais assistências (12).

Outra boa notícia é a volta do atacante Luis Suárez, depois de cinco meses afastado devido a uma cirurgia. Ele não entra em campo desde o dia 9 de janeiro, quando disputou a semifinal da Supercopa da Espanha, contra o Atlético de Madrid. Nesta temporada, o uruguaio esteve em 23 jogos e marcou 14 gols, sendo 11 no Campeonato Espanhol. Em fevereiro, o treinador deixou clara a falta que o uruguaio fazia.

O Barcelona enfrenta o Mallorca no sábado, às 17h, fora de casa.

A briga pela liderança é praticamente exclusiva com o rival Real Madrid, que está em segundo lugar, com 56 pontos. Seu primeiro jogo será no domingo, às 14h30, contra o Eibar. Com o Santiago Bernabéu em obras, o Real receberá todas as partidas no Estádio Alfredo di Stéfano, dentro do Centro de Treinamento de Valdebebas

E para conquistar o título, o Real Madrid aposta no sucesso do retorno do meia Eden Hazard. O belga, que sofreu uma fissura na fíbula da perna direita no fim de fevereiro e precisou passar por cirurgia nos Estados Unidos, tem impressionado comissão técnica e companheiros pelo desempenho nos recentes treinos, segundo o “Marca”.

Assim como foi feito no Campeonato Alemão, a competição na Espanha permitirá em seu retorno cinco substituições. Isso somado à maratona de rodadas pode significar mais oportunidades no time de Zinedine Zidane para Reinier, Rodrygo e, em maior grau, Vinícius Junior. Com Benzema e Hazard titulares, a princípio, há uma vaga no tridente inicial de ataque, com Asensio também na concorrência.

Barcelona e Real Madrid terão seis rivais em comum nos jogos que faltam: Alavés, Athletic Bilbao, Espanyol, Leganés, Mallorca e Villareal. Nas últimas dez temporadas da liga, o Barça foi melhor do que o Real nas 11 rodadas finais em oito ocasiões.

Já a disputa por vaga nas competições europeias envolve outros cinco clubes. A distância do Sevilla, em terceiro lugar com 47 pontos, para o Valencia, em sétimo, é de apenas cinco pontos. Entre um e outro estão: Getafe (46), Real Sociedad (46) e Atlético de Madrid (45). Os quatro primeiros do Campeonato Espanhol asseguram um lugar na próxima Liga dos Campeões. Quinto e sexto disputam a Liga Europa.

Na parte inferior da tabela, Mallorca, Leganés e Espanyol se encontram na zona de rebaixamento, nesta ordem. A distância entre eles é de apenas cinco pontos. Quem está mais perto de sair é o Mallorca, com 25, um a menos do que o Celta, o 17° colocado, o Celta.

Classificação

PosiçãoClubePontos
15Valladolid29
16Eibar27
17Celta26
18Mallorca25
19Leganés23
20Espanyol20

Competição volta com polêmica

Depois das discussões sobre a retomada do Campeonato Espanhol ser prematura ou não, e a possibilidade de público nessa volta, a polêmica da vez é o calendário dos jogos que faltam. Segundo a imprensa local, clubes como o Real Madrid reclamaram dos horários nas quatro primeiras rodadas e da diferença de tempo de descanso.

Atlético de Madrid, Athletic Bilbao, Villarreal e Leganés disputarão os próximos quatro jogos em 10 dias, com apenas dois de descanso a cada rodada. Enquanto isso, o Betis fará o mesmo em 15 dias, por exemplo. Nas 28ª, 29ª, 30ª e 31ª rodadas, o Barcelona vai sempre jogar mais cedo do que o Real Madrid, o que foi considerado uma vantagem competitiva.

A partir desta quinta-feira, o Campeonato Espanhol terá 110 jogos, numa janela de 39 dias no calendário. Serão cinco rodadas de meio de semana e outras seis de fim de semana, em pleno verão europeu. A Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) autorizou a realização de partidas em todos os dias da semana, e o presidente da liga, Javier Tebas, confirmou a adoção da medida.

– Não acredito que seja preocupante, mas é algo que merece atenção. Estamos fazendo uma série de trabalhos específicos para aguentar essa maratona. E acredito também que o aumento no número de substituições vai ajudar bastante. Bem ou mal você consegue mudar praticamente meio time e poupar os jogadores que estiverem mais cansados. Isso ajuda no ritmo da partida, na qualidade do espetáculo e, claro, em relação a possibilidade de lesões – disse Diego Carlos.

Os clubes da Espanha voltaram aos treinos na segunda semana de maio, após a liga desenvolver um protocolo de prevenção ao coronavírus. O retorno às atividades foi dividido em quatro fases semanais. Na primeira, os jogadores trabalharam individualmente nos centros de treinamento. Na segunda, foi permitido exercícios em pequenos grupos. Na terceira, foi possível treinar em dois grandes conjuntos. Na semana passada não houve restrições.

– Se você parar para pensar, a gente não parou de treinar em nenhum momento. Apesar de termos ficado em casa, todos nós recebíamos os exercícios online e realizávamos as atividades diariamente. Claro que não é a mesma coisa do que treinar no campo, mas ficamos em atividade. Se somar isso às duas ou três semanas de treinos no campo, acho que está ótimo. Acho que estamos muito bem preparados – ponderou Emerson.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.