BUSCAR
BUSCAR
Boa forma
Atividade física nas redes
Sejam treinos para garantir bom condicionamento físico na quarentena ou apenas movimentos para relaxar o corpo, educadores físicos encontraram nas redes sociais uma forma de contribuir para a saúde e o bem-estar dos potiguares
Júnior Lins
24/07/2020 | 23:41

Andrezza Fernandes, 29, já atua como personal trainer há sete anos. Desde o início da pandemia, assim como diversos profissionais, Andrezza teve que se reinventar para manter suas atividades, mesmo sem poder ter o contato presencial. O trabalho, que geralmente seria feito em uma academia ou em espaços apropriados para os exercícios, teve que migrar exclusivamente para o ensino remoto.

Esta forma de ensinar não é novidade para os educadores físicos, muitos já utilizavam, principalmente para atingir públicos de lugares mais distantes e ter maior alcance em plataformas digitais para a divulgação do trabalho. De acordo com a personal, uma orientação é necessária para que uma pessoa obtenha bons resultados. O empenho e o acesso à internet do aluno também são fatores essenciais para que as aulas tenham efetividade.

“Não posso afirmar que seja efetiva, pois isso depende de uma série de fatores como, por exemplo: o nível de condicionamento físico do aluno, os hábitos diários dele, o acesso à internet. O exercício com orientação sempre será melhor e trará um melhor benefício do que aquele realizado sem orientação”, contou.

A educadora acredita que qualquer interesse da população em se exercitar, mesmo em casa, já é um ganho, pois as estatísticas de sedentarismo e obesidade são elevadas desde antes da quarentena. Conforme informado por Andrezza, o Rio Grande do Norte está entre os cinco estados do Brasil com o maior índice de inatividade física.

Segundo a personal, o maior problema para as pessoas fazerem o exercício em casa é o mesmo do que antes da pandemia: o tempo. Encaixar exercícios na rotina são vistos como uma dificuldade por boa parte dos alunos, mas a educadora acredita que são situações que sempre podem ser resolvidas.

“Não vejo perdas em realizar atividades físicas em casa. Podemos até encontrar algumas dificuldades. Encontrar um horário específico para essa prática, um local adequado, pais que tem crianças em casa têm uma certa dificuldade de conciliar a atenção aos filhos à prática de atividades físicas, muitas pessoas estão trabalhando em casa e dependendo de como seja poderão até ter uma certa indisposição de fazer algo após o expediente pois o local que ela trabalha também é o local onde ela vive e realiza outras atividades. São situações que podem surgir, mas que também podem ser resolvidas”, explicou.

Uso da máscara no exercício

Com a reabertura das academias sem ar-condicionado, muitas pessoas retornaram aos locais de treino, mas com o uso de máscaras. No tocante a utilização do Equipamento de Proteção Individual durante às atividades, Andrezza Fernandes esclarece que devem ser considerados alguns fatores para que o uso não possa se tornar prejudicial à saúde. “Com relação à pratica de exercícios e atividades físicas deve-se considerar alguns pontos para que se possa treinar numa determinada faixa de segurança. Como, por exemplo, a intensidade do exercício, se é leve, moderado ou intenso e a duração do exercício”, relatou.

Conforme explicado pela personal, o esforço exigido pelo exercício físico faz com que o corpo aumente a frequência respiratória e com a máscara, fica mais difícil de inspirar o oxigênio e expulsar o gás carbônico dos pulmões. Isto pode gerar um aumento na frequência cardíaca, sudorese aumentada e em alguns casos, até tontura.

Andrezza recomenda o uso da máscara hospitalar ao invés da de tecido para estes tipos de atividades. Além disto, o acompanhamento e a orientação profissional também é ressaltada por ela, para que os exercícios sejam executados de forma correta, especialmente com esta condição.

“Não podemos deixar de lado os cuidados para amenizar os riscos. Pode-se optar por usar uma máscara mais fina, como é o caso da máscara hospitalar, aquela branquinha fininha, realizar treinos leves, mas sempre de olho no tempo de duração e lembrando a da importância de se hidratar bem. Em casos de treinos mais intensos, é possível a realização com acompanhamento de profissional, sem esquecer que qualquer prática de exercícios precisa desta orientação”, concluiu.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.