BUSCAR
BUSCAR
Escrita
Confira a coluna “Desenrolando a Língua” do prof. João Maria de Lima de segunda-feira 28

28/12/2020 | 08:44

Projeto de lei da cessão dos créditos tem pedido de vista na ALRN

Parônimos são palavras que apresentam significados diferentes embora sejam parecidas na grafia ou na pronúncia. É o caso de “cessão”, que – na notícia – significa transferência de posse, cedência; “seção”, parte, setor: seção de cosméticos, seção de frutas; e “sessão”, tempo que dura uma reunião, um trabalho, um espetáculo.

Madeira ilegal apreendida pela PRF este ano supera em 95% a de 2019

Talvez não esteja mais na memória, mas “afixo” é o elemento que se junta ao radical e forma uma nova palavra com significado diferente. Como vemos em ilegal, houve o acréscimo do morfema “i-”, que significa “oposto”, “contrário”. O afixo anexado antes do radical chama-se prefixo; quando colocado depois do radical, é chamado de sufixo.

Em relação ao tempo, “este(s)”, “esta(s)” e “isto” são empregados quando se quer indicar o tempo presente em relação ao momento em que se fala: “Neste mês venta muito” (o mês presente). “Esta tarde vou ao cinema” (a tarde presente). Na notícia, o emprego do pronome está perfeito: “este ano”.
“Esse(s)”, “essa(s)” e “isso” são usados quando se quer indicar o tempo passado há pouco ou o futuro em relação ao momento em que se fala: “Esse aumento do desemprego ocorreu em todos os países” (refere-se a um fato do passado recente); “Nessa reunião escolheremos o novo presidente” (refere-se a uma reunião futura).

Moura Dubeux volta com tudo para Natal

Dos versos de Gonçalves Dias, para a gramática: Minha terra tem palmeiras/onde canta o sabiá/venho de não craseia/venho da crase há! Quem vai a Natal “vem de” Natal. Logo, não há acento indicando a crase. Quem vai à Bahia “vem da” Bahia. Portanto, há acento indicando a crase antes de Bahia. Essa é a dica diante de nomes de lugares.

Mas existe outra importante: com verbos de movimento (ir, chegar, voltar etc.) empregamos a preposição “a” quando se trata de algo rápido (Voltou a Natal; Vou à missa) e usamos “para” quando o movimento é longo ou duradouro (Voltou para a casa dos pais; Voltou para Natal). Deduzimos da notícia que a construtora citada permanecerá por muito tempo aqui.

Champanhe

Prefira o substantivo masculino: o champanhe. Nascido na província de Champagne, o champanhe é francês. Bons espumantes derivados de outros países não podem ser chamados de “champanhe”. A França tem exclusividade no nome.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.