Política potiguar
Inumeráveis
Por Redação - Publicado em 05/06/2020 às 06:00
Publicidade
M emorial criado em abril para homenagear os atingidos pela Covid-19, a plataforma “Inumeráveis” traz histórias de pessoas que morreram por causa do novo coronavírus. São relatos enviados por amigos, conhecidos e familiares, que mostram que as vítimas não são só números. Muito pelo contrário: são projetos de vida interrompidos.

Hoje, a coluna reproduz parte do relato sobre José Augusto de Souza, que morreu aos 58 anos em Mossoró. “O funcionário mais prestativo da livraria Independência. Querido por todos pela sua dedicação e amabilidade. Não deixava ninguém ficar esperando sem ser atendido, por ele ou por qualquer outro”, escreveu por lá uma cliente.

Se a moda pega...

Um juiz de Brasília acatou pedido da Prefeitura de São Bernardo do Campo e suspendeu (só para ela) os efeitos da portaria do Ministério da Economia que obriga estados e municípios a se adequarem a reforma da Previdência até 31 de julho, sob pena de perderem repasses federais. A medida pode levar a uma enxurrada de ações semelhantes.

Mas aqui não vai pegar

Apesar disso, o secretário de Planejamento e Finanças do RN, Aldemir Freire, diz que a estratégia do governo Fátima Bezerra não vai mudar. A gestão estadual vai seguir o prazo estipulado pelo Ministério da Economia e não vai à Justiça para conseguir mais prazo para aprovar a reforma.

Não é por aí

Uma fonte da coluna avalia que é não é a melhor opção para o PT balizar a decisão sobre quem vai disputar a prefeitura pela legenda a partir do entendimento de quem, supostamente, teria mais chance de chegar ao segundo turno. A fonte lembra que o partido não chega no segundo turno em Natal desde 1996 – mesmo que, de lá para cá, tenha testado vários nomes. A estratégia deve ser outra, diz a fonte.

Acusação grave

O senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) sugere que houve corrupção no caso dos respiradores comprados pelo Consórcio Nordeste, mas que não chegaram. “Hospitais saturados, falta de leitos, falta de respiradores, pessoas estão morrendo e, em um momento de pandemia como este, empresas contratadas para fornecer equipamentos estão participando de fraudes. Mais uma vez, a corrupção ceifando a vida das pessoas”, analisou.

Julgamento da chapa

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai julgar na próxima terça-feira duas ações que pedem a cassação da chapa do presidente Jair Bolsonaro e do vice, Hamilton Mourão. As peças, apresentadas pelos candidatos naquela eleição Marina Silva e Guilherme Boulos apontam ação de hackers em grupos de Facebook para beneficiar a chapa vencedora nas eleições de 2018.

Eufemismos

Há uma tentativa de obscurecer a realidade quando termos pouco claros são utilizados para falar do óbvio. O resultado dessa transparência obtusa é uma incógnita na cabeça de todo mundo. Será que o que está escrito é realmente aquilo que todos nós estamos pensando? Senão, vejamos. O que o leitor deve depreender de “reabertura gradual responsável”? É a tal da “flexibilização” ou “abertura do comércio”? E o que dizer sobre “isolamento social rígido”? É o “lockdown”?

Comércio

O presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, lamenta que a governadora Fátima Bezerra tenha não só prorrogado o decreto de isolamento social como endurecido as regras. Ele acredita que, mesmo com quase 100% dos leitos de UTI ocupados, era o momento de autorizar a reabertura do comércio. “No entanto, claro, nós respeitamos a decisão da governadora, até porque é o Governo do Estado que dispõe da visão macro do que está acontecendo, de todos os números e, inclusive, conhece a fundo o seu próprio planejamento de enfrentamento da doença”, escreveu ele.

Publicidade
Publicidade