BUSCAR
BUSCAR
Política potiguar
As pazes de Rogério e Guedes
Redação
17/06/2020 | 03:57

Após desavenças em torno da proposta de aumento dos investimentos com recursos públicos na fase pós-pandemia, os ministros da Economia, Paulo Guedes, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, teriam selado uma trégua e acertado um plano mais enxuto de obras para ajudar na recuperação da economia sem inviabilizar o ajuste fiscal.

Os dois discutiram o assunto na última quarta-feira (10), na primeira conversa que tiveram desde 22 de abril, quando se desentenderam após a apresentação do chamado Plano Pró-Brasil. Na ocasião, Marinho defendeu o aumento de gastos do governo para financiar investimentos, e Guedes o acusou de atrapalhar a atuação do Banco Central na crise e na política de juros diante da reação negativa do mercado, que temia afrouxamento do ajuste nas contas.

As iniciativas do Ministério do Desenvolvimento Regional devem envolver, agora, a aplicação de R$ 16 bilhões em três anos – bem menos que o plano inicial da pasta, que demandaria o dobro desse valor (R$ 33 bilhões) apenas em 2020. Os números ainda podem sofrer ajustes.

Inconcebível

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, disse nesta terça-feira (16) que é “inconcebível” que ainda haja resíduo de autoritarismo dentro do Estado brasileiro. Relator do inquérito que investiga se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir politicamente na Polícia Federal, Celso disse que é preciso resistir “com as armas legítimas da Constituição e das leis do Estado brasileiro” e observou que “sem juízes independentes, jamais haverá cidadãos livres neste País”.

Siga o dinheiro

Em mais uma diligência do inquérito sobre atos antidemocráticos, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou que redes sociais forneçam relatórios sobre pagamentos efetuados a páginas bolsonaristas que fazem apologia a atos antidemocráticos, a chamada “monetização” dessas páginas.

Corte nos repasses

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira, a medida provisória 932, que reduz pela metade, por dois meses, as contribuições pagas pelos empresários para financiar o Sistema S (Sesi, Senai, Sest, Senat, Sesc, Senac e Sebrae, entre outras entidades). A medida segue para o Senado.

Vetos de Bolsonaro I

Após embates de Jair Bolsonaro com os Poderes Judiciário e Legislativo, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), marcou para esta quarta-feira (17) a retomada das sessões do Congresso, mesmo que de forma remota, para a votação de vetos presidenciais.

Vetos de Bolsonaro II

Na fila, há 26 vetos de Bolsonaro à espera de apreciação do Congresso —e pelo menos 20 devem ser apreciados nesta quarta. Entre os mais polêmicos está o que prevê reajustes aos servidores públicos, congelados até o fim de 2021 em contrapartida ao apoio a estados e municípios.

Momento decisivo

A dentista Renata Rêgo, pré-candidata a prefeita de Extremoz mais bem posicionada na pesquisa Exatus/Agora RN/97, avalia que o resultado da sondagem “veio em momento decisivo na pré-campanha”. “Fui secretária na gestão do prefeito Klauss Rêgo, e esse foi o motivo de ser uma pré-candidata. Estou feliz pelo resultado e agradeço aos entrevistados. Na hora certa, vamos falar sobre nossas propostas”, disse.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.