BUSCAR
BUSCAR
Política potiguar
A última que morre
Redação
04/06/2020 | 06:00

Esperança. Apesar de o “Plano Mansueto” ter virado o socorro financeiro de R$ 60 bilhões para estados e municípios, a equipe econômica do Governo do Estado ainda tem expectativa de que, passada a pandemia de Covid-19, sejam retomadas as negociações sobre o projeto original. Pela proposta – idealizada pelo secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida –, a União poderia avalizar empréstimo de até R$ 1,1 bilhão para o Rio Grande do Norte. O dinheiro, segundo a gestão Fátima Bezerra, serviria para pagar os salários atrasados dos servidores. Que são dois: dezembro e 13º de 2018.

Coisas diferentes

Na opinião do senador Jean Paul Prates (PT-RN), o socorro financeiro não tem nada a ver com o Plano Mansueto. Enquanto a ajuda busca reparar perdas de arrecadação dos estados na pandemia, o Plano Mansueto pretendia fazer um grande ajuste fiscal no País, condicionando o aval para os empréstimos à adoção de medidas de arrocho pelos governos regionais.

Stand-by

O secretário estadual de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire, espera que os debates em torno do Plano Mansueto sejam retomados no segundo semestre. Jean Paul Prates acredita que, no máximo até agora, o assunto deve voltar à pauta do Congresso.

Andou

O vereador Maurício Gurgel (PV) devolveu nesta quarta-feira (3), para a Comissão de Finanças da Câmara de Natal, o projeto da reforma da Previdência Municipal. Ele tinha pedido vistas na semana passada. Depois de devolver o projeto, Maurício Gurgel foi designado pelo presidente da comissão, Raniere Barbosa (Avante), como o relator da proposta. Ele terá uma semana para entregar o seu parecer – inclusive propondo mudanças no texto, se quiser.

Símbolo

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, precisa explicar melhor as críticas feitas ao governo Fátima Bezerra. Ontem, à Tribuna do Norte, o prefeito disse que a gestão estadual foi omissa no combate à pandemia por não ter aberto um hospital de campanha em Natal. Mas o Estado aumentou a rede assistencial de saúde, só que de forma descentralizada, em vários hospitais. Para o prefeito, só vale se tiver um prédio novo, com direito a descerramento de placa?

Prescrição virtual

Mesmo ele próprio reconhecendo que não há estudo científico comprovando qualquer eficácia na prática, o médico e deputado estadual Albert Dickson tem recomendado aos seus seguidores nas redes sociais que tomem ivermectina mesmo sem estar com sintomas da Covid-19. E o pior: tomar constantemente, para que o medicamento fique “na corrente sanguínea”. Em lives, Albert diz até a posologia e onde encontrar o remédio, frisando que algumas farmácias não exigem receita.

Facilitador

A versão atualizada do projeto do novo Plano Diretor tem um detalhe interessante. Se a lei for aprovada do jeito que está, a Prefeitura do Natal poderá aumentar o coeficiente de construção por decreto, ou seja, antes da próxima revisão. Para isso, só terá que ouvir três conselhos: o de Planejamento, o de Saneamento Básico e o de Trânsito e Mobilidade Urbana.

Novo rompimento

O prefeito Rosano Taveira, de Parnamirim, perdeu mais um apoiador nesta quarta-feira (3). Agora, foi a vez de o vereador Pastor Alex (Solidariedade) anunciar o rompimento, elencando ações que demonstram, segundo o parlamentar, “falta de compromisso” da gestão com a população.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.