BUSCAR
BUSCAR
Coluna
Alex Viana: MDB entre Fátima Bezerra e Rogério Marinho
Confira a coluna de Alex Viana da edição deste sábado e domingo, 12 e 13 de junho
Alex Viana
12/06/2021 | 08:24

Aliados no passado, petistas e emedebistas vêm retomando parcerias políticas em vários estados, sobretudo no Nordeste. No Ceará, o PT do governador Camillo Santana vai apoiar o senador Eunício Oliveira, do MDB, para o governo do Estado. Alianças entre esses partidos ocorrem ou são costuradas no Piauí, Maranhão e Alagoas. Outros estados nordestinos estudam a mesma composição. Apenas em Pernambuco o MDB é dividido. Seria o furacão Lula rearranjando o tabuleiro do poder nacional. E pode ser por aí que se comece a desenhar o palanque da sucessão no Rio Grande do Norte, onde a governadora Fátima Bezerra (PT), que deverá disputar a reeleição, tem chance de ter o apoio do MDB. No entanto, inexistem conversas locais, ainda, nesse sentido.

Desde que passou a ser pré-candidato novamente a presidente da República, com o aval jurídico conferido pelo Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente Lula voltou ao centro das articulações políticas no País. Costurando alianças, construindo seu palanque eleitoral, o ex-presidente defende uma aliança do PT com o MDB. Onde for possível.

O MDB norte-rio-grandense ainda é uma interrogação para as eleições 2022. Fazendo oposição construtiva ao governo Fátima, não existem portas fechadas para um entendimento com a petista. Mas também não há predileção. Isso porque o MDB também tem bom trânsito com os que fazem oposi- ção ao governo do PT, especialmente o ministro Rogério Marinho, que se desenha como um provável adversário de Fátima.

Rogério vê, a cada dia que passa, seu projeto de disputar o Senado mais distante, devido a interferência direta do ministro Fábio Faria, que deseja disputar o cargo. Assim, Rogério seria o nome do presidente Jair Bolsonaro para se candidatar ao governo, com Fábio como companheiro de chapa, disputando o Senado. Aqui no Estado, o ministro do Desenvolvimento Regional conta com o respeito da cúpula emedebista potiguar, pelo trabalho de continuidade das obras hídricas, como a transposição do rio São Francisco. Mas também não se pode dizer que já tem o apoio da sigla.

O MDB, pelo porte e pela tradição que tem, poderá ser o fiel da balança eleitoral no ano que vem. E já colocou as cartas na mesa: tem pré-candidato ao Senado, o ex-senador Garibaldi Filho. Garibaldi tem hoje uma das posições mais cômodas no tabuleiro pré-eleitoral. Isso porque está sem mandato, lidera as pesquisas, conta com um partido forte e estruturado, com fundo eleitoral e tempo de TV. Uma potência em termos de poder eleitoral. Mas só o tempo dirá para que lado da balança deverá ir.

Prazo

O PDT, presidido no Estado pelo ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves, ainda vige como comissão provisória. O partido não é, oficialmente, um diretório. A atual comissão provisória do PDT tem data de validade até o dia 1º de agosto.

Dificuldades

Por falar em Carlos Eduardo, o pedetista encontra no seu líder nacional, Ciro Gomes, o maior obstáculo a uma aliança com a governadora Fátima Bezerra (PT).

Isso porque Ciro amplia cada vez mais os ataques ao ex-presidente Lula, dificultando uma reaproximação estadual entre os partidos.

Desprestígio

Carlos Eduardo Alves também anda devendo uma cota de prestígio a seus partidários. Prefeitos eleitos pelo PDT na campanha passada, Dr. Airton (Tangará) e Flaviano Lisboa (Passa e Fica) se queixam que não recebem uma ligação do “líder” partidário.

Ainda no quesito desprestígio, Carlos também pontua com o presidente da Câmara Municipal, Paulinho Freire (PDT). Ambos não se falam desde a eleição passada.

De saída

Pelo visto, na Câmara de Natal não é só Paulinho que anda insatisfeito com o PDT. Na capital, a legenda deverá perder, de uma tacada só, cinco vereadores eleitos. Além do presidente da Câmara, os vereadores Aldo Clemente, Robson Carvalho, Felipe Alves e Nina Souza também devem migrar de partido.

Agora Sei

Embora tenha dito ser candidato nas eleições que vem, o cenário eleitoral de Carlos Eduardo não é dos mais promissores. Quem viu o relatório completo da última pesquisa do instituto Agora Sei, com 1.611 eleitores em 59 municípios das 19 microrregiões do Rio Grande do Norte, percebeu que o pedetista só foi citado em Natal e em Parnamirim.

Dados do interior

Carlos Eduardo soube dos dados completos do Agora Sei. Por essa razão decidiu começar a aparecer na imprensa falando que deseja ser candidato majoritário. Em 2018, ele chegou a vencer a governadora Fátima Bezerra em Natal com 90 mil votos e abriu em Parnamirim 30 mil votos de distância. Mesmo tendo 120 mil votos de maioria nas duas cidades, um fato histórico, Fátima venceu em todas as cidades polos, tirou os 120 mil votos e abriu quase 300 mil votos de vantagem no interior.

Ninho

O deputado Albert Dickson já tomou a decisão e vai deixar o Pros. No partido da senadora Zenaide Maia não cabe mais o casal Dickson. Em Brasília, a deputada federal Carla Dickson deve integrar uma legenda ligada ao bolsonarismo.

Costa Branca

O ex-prefeito Naldinho de Tibau anda empolgado para disputar a Assembleia Legislativa. Depois que elegeu a prefeita Lidiane em Tibau e ajudou na eleição da prefeita Cinthia de Grossos, Naldinho, primo do deputado Souza Neto, já anda articulando apoios robustos em Baraúna e Serra do Mel. Naldinho aparece bem entre os mais votados em Mossoró, onde o PIB do Oeste veraneia em Tibau.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.