Averiguação
Superintendência do Ibama afirma que manchas negras em Pipa são algas
Conforme o superintendente do Ibama, nesta quarta-feira, 17, o órgão ambiental, assim como a Marinha, deve enviar uma equipe para averiguar o estado das águas
Por Redação - Publicado em 16/10/2018 às 18:07

O superintendente do Ibama, Paulo Kennedy Coelho, afirmou à reportagem do Agora RN que as manchas negras encontradas nesta terça-feira, 16, na costa das praias do Madeiro e de Cacimbinhas, no distrito de Pipa, litoral sul do Rio Grande do Norte, são resultado da proliferação de algas, e não poluição.

De acordo com o superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis no RN, a Capitania dos Portos informou que um observador na praia do Madeiro constatou que o material não era óleo ou petróleo, mas sim formação de algas.

Ao Agora RN, a Marinha anunciou, em nota, que vai enviar uma equipe técnica ao local onde foi encontrada a mancha para averiguar o estado das águas. O Ibama também deverá acompanhar a inspeção.

A Petrobras informou que não possui plataformas instaladas na região e que, consequentemente, o incidente não teria origem com a estatal.

O CASO

Uma extensa mancha negra apareceu nesta terça-feira, 16, na costa do distrito de Pipa, município de Tibau do Sul, segundo destino turístico mais visitado do Rio Grande do Norte. Informações iniciais deram conta de que se tratava de óleo despejado por uma embarcação que passou próximo às praias do Madeiro e de Cacimbinhas, mas não há confirmação de que seja poluição.

A mancha está concentrada na costa das praias do Madeiro e de Cacimbinhas. As praias do Amor e do Centro, as mais frequentadas pelos turistas que visitam a região, não haviam sido afetadas até a publicação desta matéria.

*Atualizado às 18h53 para acréscimo de informações.