Publicidade
Declaração
Secretário de Saúde do RN espera que população siga as orientações das autoridades sanitárias
Recomendação foi dada pelo secretário Cipriano Maia após o pronunciamento do presidente da República Jair Bolsonaro
Por Redação - Publicado em 25/03/2020 às 19:30
José Aldenir/Agora RN
Para Cipriano, esse momento de emergência de saúde pública exige do governante muita responsabilidade
O secretário da Saúde Pública do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, considerou inoportuno e de conteúdo extremamente danoso para a saúde e vida das pessoas, o pronunciamento do presidente da República Jair Bolsonaro, transmitido em cadeia nacional na noite desta terça-feira (24).

“A atitude do presidente vai de encontro ao consenso científico e sanitário internacional, um desrespeito à saúde pública, contrário a tudo que tem sido recomendado pelo Ministério da Saúde e vem sendo construído na parceria com os secretários estaduais de saúde.

Logo após a fala do presidente, o secretário Cipriano Maia, juntamente com os demais secretários estaduais de saúde, manifestaram estranheza diante de tal atitude do presidente e reforçaram as condutas que estão em execução, baseadas na experiência e recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que vêm sendo adotadas por vários países.

“Os estados e municípios estão trabalhando incessantemente enfrentando todas as dificuldades, algumas pessoas dormindo muito pouco numa atividade intensa, isso precisa ser respeitado e a população precisa compreender e apoiar esse trabalho de defesa da vida”.

De acordo com Cipriano Maia, o governo do Rio Grande do Norte vem se mantendo fiel a essas diretrizes. A governadora Fátima Bezerra assinou nesta quarta um novo decreto reforçando as medidas de contenção para que se suprima ao máximo as atividades de interação e convívio social, reforçando o isolamento como forma de evitar a disseminação do vírus e possíveis mortes.

Para Cipriano, esse momento de emergência de saúde pública exige do governante muita responsabilidade, principalmente do presidente da República que, para honrar o cargo, teria que ter mais diálogo com seu ministro da Saúde que vêm conduzindo de forma técnica o processo. “Felizmente, o Governo do Estado assumiu a prioridade na condução do processo, colocando o combate à pandemia, como centro de sua agenda. Temos dialogado com a rede privada de saúde, com os secretários municipais de saúde e percebemos que todos estão alinhados na orientação técnica do Ministério da Saúde”.

O secretário declarou que nesse momento “o mais importante é estar trabalhando em parceria e alinhado com as secretarias de Saúde para somar ações e fortalecer atitudes responsáveis e comprometidas com a perspectiva de reduzir a propagação da pandemia”. Ele apela à população para continuar seguindo as orientações das autoridades sanitárias e não partidarizar uma questão de enfrentamento de saúde pública que diz respeito à vida das pessoas principalmente as mais vulneráveis que precisam ser protegidas da pandemia, como é o caso dos idosos. “Não se preocupar com a situação dos idosos e outros grupos de risco seria uma atitude egoísta e quase genocida”, finaliza o secretário.

Publicidade
Publicidade