Publicidade
Encontro
Evento em Natal discute avanços e desafios da energia eólica
Evento, que espera reunir mais de 1 mil participantes, acontece na Escola de Governo Dom Nivaldo Monte, no Centro Administrativo entre esta quarta-feira e sexta
Cerne / Divulgação
Darlan Santos (E), diretor-presidente do Cerne

Com 151 parques e 1,5 mil aerogeradores atualmente em operação, o Rio Grande do Norte é o maior produtor de energia eólica do Brasil, com capacidade instalada de 4 gigawatts (GW). A força do setor de energias renováveis potiguar será discutida entre os dias 14, 15 e 16 de agosto, em Natal, durante a 11ª edição do Fórum Nacional Eólico, que pretende discutir o atual mercado energético brasileiro e buscar soluções para os entraves do setor.

As atividades do evento, que espera reunir mais de 1 mil participantes, acontecem na Escola de Governo Dom Nivaldo Monte, localizada no Centro Administrativo do Governo do Rio Grande do Norte. Terão assento no fórum representantes governamentais, líderes dos setores de geração e transmissão, integrantes da cadeia de fornecimento e especialistas do setor de energias renováveis.

O evento é uma realização do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne) e a empresa Viex Américas. A edição 2019 tem o objetivo de tratar do mercado de energia, incluindo regulação, projeção de investimentos, gestão socioambiental e financiamento, além de oferecer oportunidades de negócio e debater sobre eólica offshore e mercado livre.

Considerado o maior evento político-econômico de setor eólico brasileiro ultrapassou a marca de 1,2 mil inscrições, o diretor-presidente do Cerne, Darlan Santos, diz que o Fórum Nacional Eólico será um espaço para que empresários e gestores públicos possam para discussão de novos investimentos e de novos negócios.

“O Fórum foi criado para ser um momento de encontro e debate relacionado a políticas públicas e desenvolvimento do setor eólico. Ao longo dos anos, vem confirmando essa vocação, tendo sido palco de diversas discussões que pautaram o setor e contribuíram com o seu desenvolvimento”, explica ele.

Darlan Santos também aponta que o encontro nacional vai dialogar sobre os desafios e cenários para a eólico em mar no Brasil. A discussão será feita com entidades como o Cerne, Ibama, Petrobras e empresas do setor. “Também será feita a análise das entidades que fazem capacitação de mão de obra para o setor”, ressalta.

O diretor-presidente do Cerne reforça que o fórum também vai abrir espaço para o debate da legislação referente ao setor eólico. O foco será evolução das normas relacionadas com processos envolvendo patrimônio histórico e licenciamento ambiental de parques eólicos.

 A programação completa, lista de palestrantes e informações sobre a inscrição, gratuita, podem ser encontradas no site do evento: www.cartadosventos.com.br.

Programação do XI Fórum Nacional Eólico

Dia 14
14h –Abertura do XI Fórum Nacional Eólico
14h30 – Questões tributárias nas eólicas, reflexos e novas possibilidades para os Estados – Jean-Paul Prates, Senador da República (PT)
16h –Transição tecnológica de aerogeradores

Dia 15
9h – Perspectivas e desafios do cenário Offshore para o mercado brasileiro
10h – Futuro da Industria Eólica e infraestrutura de transmissão no Brasil
11h40 – O uso de áreas de assentamento no desenvolvimento de projetos eólicos
14h – Evolução da normatização dos processos que envolvem patrimônio histórico e licenciamento ambiental de parques eólicos
16h – A nova eólica brasileira e os desafios da capacitação e contratação local

Dia 16
9h – Financiamento da indústria Eólica no Brasil
10h20 – Oportunidades de Apoio do Banco do Nordeste: Energia Eólica
10h45 – As Novas Oportunidades para o Setor de Energia Eólica a partir do fortalecimento do Mercado Livre
12h15 – Encerramento do XI Fórum Nacional Eólico

Publicidade
Publicidade