História
“Curiozzzo”: blog resgata memórias e destaca singularidades da história potiguar
Criação do analista de sistemas Henrique Araújo, blog resgata as peculiaridades da História e da Cultura do RN
Por Felipe Salustino - Publicado em 22/05/2020 às 08:53

Você sabia que um professor de Natal inventou um carro movido à água? Pois é. Isso aconteceu na década de 1960 e o autor dessa façanha se chama Nicanor de Azevedo Maia, um engenheiro civil da época, morador de um bonito sobrado na rua Mossoró, Zona Lesta da capital potiguar.

A dica de ouro para conhecer essas e outras memórias cativantes e que fazem do Rio Grande do Norte um estado privilegiado em termos de cultura e de excelentes histórias, é o blog Curiozzzo (curiozzzo.com), criação do analista de sistemas, Henrique Araújo (35).

Uma conversa entre Henrique e um amigo (Fernando Alves, que deu muitas dicas), em 2014, fez despontar a ideia de montar o blog, cuja proposta era mostrar curiosidades do mundo. Pronto! Estava aí o start para a criação de Curiozzzo, assim mesmo, com três “Zs”. O porquê da escrita inusitada? Nem mesmo o próprio Henrique sabe como responder. “O nome foi criado por uma brincadeira. Não tem explicação. Surgiu de repente, apenas como uma marca”, conta.

O analista de sistemas Henrique Araújo é a mente curiosa por trás do Curiozzzo. Foto: Cedida

Henrique é um brasiliense apaixonado por cerveja que cresceu em Natal. A paixão pela bebida fermentada suscitou, inclusive, as primeiras postagens no blog, que logo perderam espaço para as curiosidades sobre a História e a Cultura potiguar. Seis anos após a criação, Curiozzzo é referência internacional para o Rio Grande do Norte, acessado por internautas de mais de 100 países e com mais de 5 milhões de views.

“É uma janela para muita gente. Vivemos num estado com uma lacuna quando o assunto é o resgate da História e da Cultura. E nossa abordagem é trabalhada com uma série de regras para que o conteúdo fique muito interessante”, explica Henrique.

Os assuntos abordados são os mais variados. Fotografias que mostram a força impressionante da natureza nos céus da capital, um passeio pelos casarões mais belos e conservados do Centro da cidade e até imagens em preto e branco de paisagens icônicas de Natal: uma Ponte de Igapó já tomada por carros em pleno 1984 ou uma Ponta Negra selvagem e inabitada, lá pelos idos de 1925. Tudo ali é um convite à curiosidade dos apaixonados pela História potiguar.

Ponte de Igapó em 1984. Foto: Douglas Costa / Reprodução Curiozzzo

Para gerar conteúdo, Henrique conta com parcerias de peso. Entre fotógrafos, ele utiliza arquivos de profissionais como Canindé Soares, Ney Douglas, Jaeci Emerenciano, este último morto em 2017, dentre outros. Igualmente fundamentais são as fontes históricas consultadas pelo blog. Obras de escritores e historiadores, como Rostand Medeiros, criador do blog Tok de História, João Sizenando (morto em 1998), além dos irmãos Fred e Carlos Rossiter (filhos de João Sizenando) fazem parte do material pesquisado por Henrique.

As obras do folcloristas Luís da Câmara Cascudo também são fontes inesgotáveis de consulta. Para isso, a parceria com Daliana Cascudo, neta do folclorista e diretora do Instituo Ludovicus, é imprescindível. Mas há outras fontes a quem Henrique costuma recorrer.

“Faço pesquisa em blogs de pessoas que já mexem com História há muito tempo. Tem gente que já está velhinha, com muita história para contar e coloca na internet.  Eu vejo uma foto antiga no Facebook e já vou atrás do autor para saber como se deu a situação (da foto)”, comenta Henrique.

Quarentena

Preocupado com a atual situação do planeta em relação à pandemia do coronavírus, Henrique se dedica a falar também sobre isolamento social e enfrentamento à crise sanitária. Por isso, ele criou stories com destaques no Instagram (@curiozzzo), com informações sobre o tema. No blog, há uma categoria chamada “Covid-19”, com uma série de postagens que tratam do assunto, como doações de respiradores feitas por empresas, além de charges e publicações de cunho histórico ligadas à quarentena.

Incentivos

Henrique se diz apaixonado pelas histórias que garimpa, mas reclama da falta de incentivos por parte das empresas para estimular iniciativas como as dele. “Financeiramente, há pouco retorno. As empresas do RN deveriam dar mais atenção para esse tipo de conteúdo. Às vezes a gente procura anúncio para o Curiozzzo e a resposta é negativa ou nenhuma”.

Por outro lado, o reconhecimento e a paixão pelo que faz são o estímulo para seguir pesquisando e descobrindo as melhores histórias e curiosidades do Rio Grande do Norte.

“Fazer conteúdo para o blog é uma paixão, porque é divertido buscar fatos do passado. E o incentivo vem de pessoas renomadas, como Diógenes da Cunha Lima, (presidente da Academia Norte-Riograndense de Letras) e da própria Daliana Cascudo, que é fã do blog. Além disso, as pessoas que acessam o conteúdo dão um feedback muito bom”, assinala.