BUSCAR
BUSCAR
Influenza
Vacinação para caminhoneiros e trabalhadores portuários começa nesta quinta (16)
Categorias foram incluídas nos grupos prioritários por atuarem em atividades essenciais para o abastecimento do país
Redação
14/04/2020 | 15:56

Nesta quinta-feira (16), caminhoneiros e trabalhadores portuários de todo o Brasil entram como grupo prioritário na segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Ao todo, serão distribuídas 2 milhões de doses da vacina, que poderão ser aplicadas para este público em qualquer parte do país, independentemente do município e estado de sua residência. As duas categorias se juntam aos motoristas de transportes coletivos e ao grupo prioritário que também contempla doentes crônicos e profissionais das forças de segurança e salvamento.

A estratégia de imunização foi antecipada este ano, de abril para março, e modificada pelo Ministério da Saúde, em atendimento à reivindicação do Ministério da Infraestrutura, no fim de março, para incluir nos grupos prioritários as categorias que estão atuando em atividades essenciais ou em ações de prevenção e combate à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

“É nosso dever garantir essas condições e dar segurança para todos que estão nas estradas. Os profissionais de transporte terão esse suporte porque o Governo Federal está garantindo esse conforto a mais aos trabalhadores que estão prestando um grande serviço ao nosso país, tão importantes para nós, especialmente, neste momento”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina não age contra a Covid-19, mas protege contra os três tipos de gripe mais comuns registradas no hemisfério sul no ano passado: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2), auxiliando os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico do coronavírus, já que os sintomas são semelhantes aos da gripe.

Comprovação

A vacinação para caminhoneiros e portuários seguirá até o dia 9 de maio, quando terá início a terceira fase da campanha. Para se vacinar, o caminhoneiro deverá apresentar um documento de comprovação da sua atuação, que pode ser: carteira de trabalho, contracheque com documento de identidade, carteira de sócio (a) do sindicato de transportes (categoria de motorista), carteira de habilitação (para motoristas das categorias C ou E) ou crachá funcional.

Já o trabalhador portuário, que atua nos serviços definidos pela lei 12.815/2003, deverá levar, no momento da vacinação, o comprovante do registro no Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO) ou a carteira de sócio (a) do sindicato da categoria, o contracheque com documento de identidade, declarações dos serviços onde atua, carteira de trabalho ou crachá funcional.

Outras ações

O Ministério da Infraestrutura lançou ainda, no último mês, um questionário no aplicativo InfraBR desenvolvido pelo Serpro, para obter informações sobre as condições de saúde e a situação das cargas transportadas pela categoria. O questionário é uma das ações da campanha do Governo Federal de combate e prevenção à covid-19 e apoiará o Ministério da Infraestrutura nas ações emergenciais de apoio aos caminhoneiros e de políticas públicas que reduzam os impactos causados no setor de transportes.

Disponível nas lojas App Store e Google Play, o InfraBR pode ser baixado gratuitamente no celular. Mais de 15 mil caminhoneiros já possuem o aplicativo em seus dispositivos móveis. Quem já tem o app no celular, basta fazer a atualização. O InfraBR também está disponível no website https://infrabr.infraestrutura.gov.br.

Além disso, os caminhoneiros também contam com o apoio do Serviço Social do Transporte e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat). São mais de 130 pontos nas rodovias de todo o país para entrega de produtos de higiene e alimentação, e orientações sobre segurança e saúde.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.