BUSCAR
BUSCAR
Postura
Temer defende direito de classe política indicar dirigentes para estatais
Recentemente, o presidente decidiu afastar quatro executivos da estatal após recomendação do Ministério Público Federal, que tem como base suspeitas de corrupção
Estadão
29/01/2018 | 10:58

O presidente Michel Temer defendeu o direito da classe política de indicar dirigentes para estatais, apesar da polêmica em torno da investigação de vice-presidentes da Caixa Econômica Federal.

Recentemente, o presidente decidiu afastar quatro executivos da estatal após recomendação do Ministério Público Federal, que tem como base suspeitas de corrupção investigadas pelo MPF e pela Polícia Federal. Alguns desses vice-presidentes eram ligados à lideranças partidárias.

Ainda assim, Temer evitou comparação com a situação na Petrobrás, estatal que foi alvo de esquema de corrupção nos governos petistas. “Situação da Caixa não estava tão dramática quanto a da Petrobrás”, disse. “A classe política foi eleita pelo voto, tem o direito de indicar dirigentes para estatais. Agora cabe ao governo escolher se aceita a indicação”.

Temer lembrou ainda que foi o presidente que sancionou a Lei das Estatais, “buscando moralidade administrativa”, que estabelece regras mais rígidas para nomeação de diretores nas empresas brasileiras. As afirmações foram feitas em entrevista ao vivo, concedida pelo presidente ao programa Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes em São Paulo.

Temer também rebateu críticas sobre a questão do desmatamento durante seu governo. Ele defendeu que ambientalistas precisam “saudar” sua gestão. “Neste último ano, o desmatamento reduziu 16%. Ao longo do tempo, aumentos as reservas (florestais)”, argumentou.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.