BUSCAR
BUSCAR
Declaração
“Respeitamos o teto de gastos e queremos responsabilidade fiscal”, diz Bolsonaro
Declaração do presidente ocorreu após reunião com os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), nesta quarta-feira (12)
CNN Brasil
12/08/2020 | 19:25

O presidente Jair Bolsonaro reafirmou o compromisso com o teto de gastos em pronunciamento nesta quarta-feira (12). “Respeitamos o teto de gastos e queremos responsabilidade fiscal”, afirmou, após reunião com os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O ministro da Economia, Paulo Guedes, estava ao lado do presidente, mas não se manifestou. 

O pronunciamento acontece após a saída de dois secretários especiais do ministério da Economia, Salim Mattar e Paulo Uebel. Em entrevista, Guedes disse haver uma “debandada” na equipe e que “furar” o teto de gastos seria o caminho para um impeachment de Bolsonaro.

Maia e Alcolumbre

Os presidentes do Legislativo também se pronunciaram no mesmo sentido. Rodrigo Maia disse que reafirmar o compromisso com o cumprimento do teto é “reafirmar o compromisso com o futuro do país”, mas que ainda há muito a ser feito. 

“A reforma administrativa, assim que o presidente entender que é importante, a Câmara dos Deputados está pronta para debater, discutir e aprovar uma reforma que tem apenas um objetivo, melhorar a qualidade do gasto público e, principalmente, do serviço público”, declarou. 

Já Alcolumbre disse que o encontro foi um “nivelamento de informações” e que o Congresso nunca faltou ao governo, dando encaminhamento às propostas enviadas.”A compreensão da sociedade é de interação positiva do Parlamento com o Executivo”, disse.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.