BUSCAR
BUSCAR
Investigação
Procuradores acusam Bolsonaro de crime de responsabilidade
Associação Nacional dos Procuradores da República também enquadra as acusações contra o mandatário no crime de falsidade ideológica
Redação
24/04/2020 | 14:23

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), analisou as acusações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como “muito graves” e “enquadrou” o chefe do Executivo federal em ilícitos como falsidade ideológica e crime de responsabilidade.

Para o presidente da entidade, Fábio George Cruz da Nobrega, Bolsonaro cometeu falsidade ideológica ao assinar um ato inexistente de exoneração a pedido do diretor-geral da Polícia Federal.

Nesta sexta-feira (24), o ex-comandante da PF Maurício Valeixo foi exonerado por Bolsonaro, resultando na demissão de Sergio Moro do cargo de ministro, horas depois.

Além disso, o procurador entendeu que ao tentar interferir na regularidade de investigações, Bolsonaro cometeu crime de responsabilidade.

Confira a nota na íntegra:

“Muito graves as declarações apresentadas pelo agora ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. Sinalizam a ocorrência de crime de falsidade ideológica de responsabilidade do presidente da República, na assinatura de ato inexistente de exoneração a pedido do diretor-geral da PF, bem como de crime de responsabilidade, na tentativa de interferência na regularidade de investigações. Ambas as ocorrências precisam ser devidamente apuradas”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.