BUSCAR
BUSCAR
Afirmação
À PF, Temer disse que ‘nunca solicitou’ a Yunes e a Lima que pegassem propinas
Nesta quinta-feira, 29, a Polícia Federal prendeu pelo menos três importantes aliados de Temer, entre eles o coronel João Batista Lima Filho e o empresário e advogado José Yunes
Estadão
29/03/2018 | 12:48

Em janeiro, quando respondeu por escrito 50 perguntas da Polícia Federal no inquérito sobre o Decreto dos Portos, o presidente Michel Temer afirmou. “Nunca solicitei que os srs. Rodrigo Rocha Loures, João Batista Lima Filho ou José Yunes recebessem recursos em meu nome em retribuição pela edição de normas contidas no Decreto dos Portos.”

Ele reclamou da ‘agressividade, desrespeito e, portanto, a impertinência, por seu caráter ofensivo, também dessa questão, tal como das anteriores’.

Nesta quinta-feira, 29, a Polícia Federal prendeu pelo menos três importantes aliados de Temer, entre eles o coronel João Batista Lima Filho e o empresário e advogado José Yunes, na Operação Skala, deflagrada por ordem do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo.

Também foram presos o empresário Antonio Celso Grecco, do Grupo Rodrimar, que atua no porto de Santos, e o ex-ministro Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da Coodesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo).
Além do presidente, são investigados no inquérito do Decreto dos Portos o ex-assessor especial de Temer, Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), Celso Grecco e Ricardo Conrado Mesquita, respectivamente, dono e diretor da Rodrimar. Todos negam irregularidades.

O inquérito, de relatoria do ministro Luís Roberto Barroso, apura se a Rodrimar, empresa que opera no Porto de Santos, foi beneficiada pelo decreto assinado pelo presidente em maio de 2017, que ampliou de 25 para 35 anos as concessões do setor, prorrogáveis por até 70 anos.

Como presidente, Temer pôde responder ao longo questionário da PF por escrito.
A 50.ª pergunta da PF. “Solicitou que Rocha Loures, João Baptista Lima Filho ou José Yunes recebessem recursos em nome de Vossa Excelência, em retribuição pela edição de normas contidas no novo decreto dos portos, de interesse e mais benéficas para empresas concessionárias de terminais portuários públicos e privados? Se sim, apresentar justificativas e detalhar circunstâncias.”

A pergunta 49 entrou na campanha eleitoral. “Vossa Excelência recebeu alguma oferta de valor, ainda que em forma de doação de campanha eleitoral, formal ou do tipo caixa 2, para inserir dispositivos no novo decreto dos portos, mais benéficos para empresas concessionárias do setor? Se sim, explicitar as circunstâncias e quais providências tomou.”

O que disse Temer: ” Não recebi nenhuma oferta de valor para inserir dispositivos mais benéficos no Decreto dos Portos, ainda que em forma de doação de campanha eleitoral. Em tal hipótese, minha reação seria de enérgica repulsa, seguida da adoção das medidas cabíveis.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.