BUSCAR
BUSCAR
Ponto de vista
Para Meirelles, armar população é abdicar da função do Estado de protegê-la
Presidenciável afirmou que o seu governo irá priorizar investimentos em capacitação e inteligência para aprimorar os serviços da Polícia Federal
Redação
15/09/2018 | 14:56

O candidato à presidência da República pelo MDB, Henrique Meirelles, criticou propostas que abdicam a função do Estado de proteger a população.

Em entrevista concedida às redes sociais da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) neste sábado, 15, o presidenciável afirmou que o seu governo irá priorizar investimentos em capacitação e inteligência para aprimorar os serviços da Polícia Federal.

“Olho com muita preocupação essas propostas de armar o cidadão para o cidadão se defenda. Porque é exatamente, em primeiro lugar, uma declaração de que não vai se dar a estrutura necessária as forças de segurança: Polícia Federal, Polícia Estadual, Polícia Civil, Polícia Militar. Não, agora todo mundo vai abdicar, o Estado abdica da sua função, o Estado não vai mais exercer a sua função de proteger a sociedade e vai delegar para cada um que vai se defender”, disse.

Meirelles voltou a defender a informatização e o uso de tecnologia para combater o crime e policiar a fronteira.

“Nós vamos implementar um plano nacional de informações, onde nós podemos mapear toda a estrutura do crime e da segurança no país. Nós temos que ter um sistema nacional de troca de informações eletrônicas administrado pela polícia federal, verificando onde estão os problemas”, afirmou.

O ex-ministro também ressaltou que o desemprego favorece o crime. Segundo ele, as soluções para o combate à violência começam com o crescimento econômico e geração de emprego.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.