BUSCAR
BUSCAR
Molon protocola requerimento para Janot ir à CCJ explicar denúncia contra Temer
Segundo o parlamentar, a denúncia 'traz à tona fatos extremamente graves que ilustram uma das maiores crises políticas que o País já enfrentou'
Isadora Perón e Daiene Cardoso
29/06/2017 | 20:57

Poucas horas depois de a denúncia contra o presidente Michel Temer chegar à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou um requerimento para que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vá pessoalmente à CCJ explicar a acusação contra o peemedebista.

Segundo Molon, “a denúncia encaminhada a esta Casa traz à tona fatos extremamente graves que ilustram uma das maiores crises políticas que o País já enfrentou. De acordo com o referido processo, o Presidente da República estaria utilizando o cargo para o favorecimento de determinadas empresas em troca do recebimento de recursos por meio de seus auxiliares”.

Janot denunciou o presidente e o seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) por corrupção passiva. Segundo o procurador-geral da República, Temer era o destinatário final de uma mala com R$ 500 mil entregue a Rocha Loures por um executivo do grupo J&F.

A denúncia chegou à Câmara nesta quinta-feira, 29, e foi encaminhada à CCJ. A partir de agora, Temer terá dez sessões plenárias para apresentar sua defesa. Os advogados do presidente, no entanto, podem se manifestar antes disso. Em seguida, a comissão tem mais cinco sessões para votar o parecer

Independentemente do resultado da comissão, a denúncia será encaminhada para votação no plenário. Para que o processo avance no STF, é preciso do voto favorável de 342 dos 513 deputados.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.