BUSCAR
BUSCAR
Para retornar
Meirelles reitera importância das reformas para investimentos de longo prazo
De acordo com o ministro, investimentos de longo prazo demandam duas condições: retorno adequado aos investidores e previsibilidade
Francisco Carlos de Assis, Altamiro Silva Júnior e Karla Spoto - Agência Estado
10/05/2017 | 16:08

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reiterou há pouco a importância das reformas estruturais para a atração do capital privado, doméstico e estrangeiro, para financiamento de obras de infraestrutura e outros investimentos de longo prazo. De acordo com ele, investimentos de longo prazo demandam duas condições: retorno adequado aos investidores e previsibilidade.

“Isso é algo que as atuais regras de investimentos em infraestrutura permitem”, disse o ministro acrescentando que a Taxa de Retorno Interna (TIR) agora é definidas por regras de competição justas, transparentes e que permitem o investidor ser remunerado sem necessidade de subsídios do governo.

Além da remuneração, de acordo com Meirelles, a economia tem que ser previsível. “Isso é, a regra que determina a concessão tem que ser previsível em um prazo longo. Para isso as reformas fundamentais são necessárias porque a grande razão da volatilidade da economia estava na questão fiscal. As despesas públicas e a dívida subiam de forma exagerada e isso de tempos em tempos trazia uma crise que elevou a taxa de juros”, disse o ministro.

Para reverter este quadro, com queda da taxa de juro estrutural e atrair investimentos, de acordo com Meirelles, é preciso que sejam aprovadas as reformas. Quanto à reforma da Previdência, Meirelles disse esperar que ela seja aprovada na Câmara ainda neste mês e o mais rápido possível no Senado.

Emprego

Meirelles afirmou que a expectativa do governo é que o desemprego comece a cair a partir do segundo semestre. “O emprego reage com uma certa defasagem em relação à atividade econômica”, disse ele a jornalistas após fazer palestra no Congresso de fundos de investimento da Anbima.

O ministro da Fazenda mencionou que quando a atividade econômica começou a piorar, no final de 2014, o desemprego ainda estava muito baixo, e só começou a se deteriorar com mais força em 2015 “O ideal seria começar a reagir imediatamente, é o desejo de todos. Mas a economia tem que primeiro voltar a crescer.”

A boa notícia, afirmou Meirelles, é que a economia voltou a crescer. “Já cresceu no primeiro trimestre e este crescimento está se disseminando no segundo trimestre”, disse ele. “Chegaremos ao final do ano crescendo bem. Esperamos entrar em 2018 com ritmo de crescimento de 3% ao ano.”

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.