BUSCAR
BUSCAR
Chuva
MDR reconhece estado de calamidade pública em cidades do ES
Cidades podem ter acesso a recursos federais para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de estruturas públicas afetadas
Agência Brasil
21/01/2020 | 20:44

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu estado de calamidade pública nas cidades de Alfredo Chaves, Iconha, Rio Novo do Sul e Vargem Alta, todas no Espírito Santo, por conta das fortes chuvas. A decisão foi divulgada nesta terça-feira (21) e será publicada na edição desta quarta-feira (22) do Diário Oficial da União.

Saiba mais: Sobe para sete o número de mortos em decorrência das chuvas no ES

Com o decreto de calamidade pública, as cidades podem ter acesso a recursos federais para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de estruturas públicas afetadas.

As fortes chuvas na região causaram a morte de sete pessoas. As informações estão no boletim da Defesa Civil do estado divulgado hoje, após a localização na manhã desta terça-feira, na cidade de Iconha, do corpo do último morador da região que estava registrado como desaparecido. As outras quatro pessoas desaparecidas foram localizadas.

Procedimento

O reconhecimento federal foi realizado por procedimento sumário, ou seja, de maneira mais ágil, pelo fato do desastre ser público, notório e de grande intensidade, antes mesmo que a solicitação do município ou do estado seja oficializada.

Técnicos da Defesa Civil Nacional estão desde sábado (18) no Espírito Santo para avaliar o impacto das chuvas na região. 

Após o reconhecimento do estado de calamidade, os municípios devem elaborar um Plano de Trabalho e encaminhar ao ministério que avaliará as necessidades e o volume de recursos para o atendimento das demandas.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.