BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Estou sendo condenada sem nem ter direito a julgamento, diz deputada Flordelis
Publicação da deputada ocorreu no mesmo dia em que a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados iniciou o processo que pode levar à cassação da parlamentar. Os deputados também decidiram apresentar um projeto de resolução para reativar o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar
Redação
02/09/2020 | 13:39

Em publicação em uma rede social nesta terça-feira, 1°, a deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSD-RJ), 56, afirmou que está sendo condenada sem direito à defesa. Flordelis foi denunciada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como suspeita de ter mandado assassinar seu marido, o pastor Anderson do Carmo. As informações são da Folha.

Essa foi a primeira publicação da parlamentar desde o início da última semana, quando a Promotoria apresentou a denúncia contra ela. Na ocasião, a Polícia Civil e Ministério Público deram detalhes do caso, como a tentativa da deputada de colocar arsênico na comida do marido para tentar matá-lo.

Na segunda-feira, 31, Flordelis havia dado entrevista ao programa “Conexão Repórter”, do SBT, a primeira depois de ter sido denunciada, e afirmara ser inocente.

“Estou vivendo o pior momento da minha vida. Não estou preparada para ser presa, e não vou ser. Porque eu sou inocente, e a minha inocência será provada. Eu não matei, eu não fiz isso de que estão me acusando. Eu não fiz. Não é real, não é verdade. É uma injustiça”, disse ela ao programa.

Já a mensagem de Flordelis na internet foi publicda com uma foto que traz uma passagem bíblica. “Muito tem sido dito na mídia, das formas mais cruéis, sem que eu tenha qualquer chance de defesa. Estou sendo condenada sem nem ter direito a julgamento. Eu não tenho o que esconder, eu não mandei matar o meu marido. Se alguém perdeu com a morte dele, fui eu, ele era tudo pra mim, meu companheiro que me ajudava e me guiava, inclusive em todos os aspectos práticos da vida”, escreveu a deputada.

A publicação da deputada ocorreu no mesmo dia em que a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados iniciou o processo que pode levar à cassação da parlamentar.

Os deputados também decidiram apresentar um projeto de resolução para reativar o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, no qual a abertura da ação contra Flordelis será analisada. Na semana passada, o Partido Social Democrático (PSD) decidiu suspender a filiação da deputada.

Na publicação nesta quarta, Flordelis diz que a verdade prevalecerá. “Olhem para a minha trajetória até agora, não há nada do que possam me acusar, sempre fui uma serva de Deus, vivendo o caminho que Ele traçou para mim. Antes de me sentenciarem, me deem o direito de defesa”, escreve.

A publicação tinha 5.800 comentários no Facebook apenas até esta manhã de quarta. A maioria deles continha críticas. Já no Instagram, havia 21 comentários todos dando apoio à deputada.

Na semana passada, a parlamentar e a família foram alvos de uma operação do Ministério Público estadual (MPRJ) e a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI). Na ocasião, ela foi apontada como a responsável pelo assassinato domarido. Sete filhos, sendo três deles biológicos, além de uma neta da deputada, também foram acusados pelo crime e estão presos.

O pastor Anderson do Carmo foi assassinado depois de chegar em casa com Flordelis, em Niterói, na região metropolitana do Rio, em junho do ano passado. Ele foi alvo de vários tiros na garagem da residência.

Na ocasião, Flordelis afirmou que o marido tinha sido morto durante um assalto e alegou que o casal estava sendo seguido por homens em uma moto quando voltavam para casa.

Procurada para comentar a publicação da parlamentar, a defesa da deputada não se manifestou até a publicação deste texto.

*Com informações da Folha

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.