BUSCAR
BUSCAR
Esperança
Em 1 mês, dobra o número de vacinas em teste contra Covid-19; conheça as 21
Quantidade é mais que o dobro de junho, quando tinham sido anunciadas 10 vacinas
Poder 360
09/07/2020 | 06:23

Pesquisadores correm contra o tempo para achar uma vacina para o coronavírus. De acordo com relatório divulgado pela OMS, há 158 iniciativas para se formular uma substância que imunize contra o vírus. Vinte e uma delas estão em testes clínicos, ou seja, com humanos. É o dobro do começo de junho, quando 10 haviam iniciado os testes.

A maior parte das 21 substâncias testadas está na fase 1 ou 2, que verificam segurança, toxidade e se há alguma resposta imunde. Há duas delas que iniciaram fase 3, a última antes da liberação para a produção. São as vacinas da Atrazeneca (Reino Unido) em parceria com a Universidade de Oxford e da Sinovac (China). As duas farmacêuticas firmaram acordo de produção em parceria com o Brasil.

Estudos indicam que menos 1o% das drogas que entram em estudos clínicos acabam aprovadas pela FDA (agência do Departamento de Saúde dos EUA, responsável pela liberação de alimentos e medicamentos na indústria farmacêutica).

O prazo mínimo que se acredita hoje que uma vacina leve para ficar pronta é de 12 a 18 meses, mas as farmacêuticas tentam iniciar a produção ainda em 2020. A Pfizer estima fabricar milhões de doses da vacina contra a covid-19 já a partir de outubro deste ano. A produção em larga escala, no entanto, só deve ser em 2021.

Não há nenhum registro de pesquisa tão rápida. A vacina da caxumba, considerada  a mais rápida da história, demorou 4 anos para ficar pronta.

Estudo da Lancet mostra que se gasta a partir de US$ 319 milhões (considerando tentativas fracassadas) para chegar à fase 3, a última fase de testes antes de aprovar a substância. Ainda não há previsão de custo da dose e nem de quando uma eventual vacina chegaria ao Brasil.

Embora demorem normalmente anos para ficarem prontas, as vacinas são o método preferencial das autoridades de saúde para controlar a pandemia. Com elas, é possível deixar a maior parte da população imunizada sem a necessidade de que contraiam antes a doença e corram risco de morte.

Saiba nos infográficos abaixo como é o processo de desenvolvimento das vacinas e quais são aquelas com melhores chances de iniciar produção em massa rapidamente. O número grande de candidatas não significa, necessariamente, uma chance alta de várias aprovadas.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.