BUSCAR
BUSCAR
Justiça
Celso de Mello arquiva ações de deputados do PT contra Sergio Moro
Ministro atendeu a um pedido da PGR, que em 3 de junho, pediu que o ministro arquivasse os pedidos para que o ex-ministro seja investigado
Redação
20/06/2020 | 12:30

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, determinou o arquivamento de notícias-crime apresentadas pelos deputados Rui Falcão (PT-SP) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) contra o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro. A decisão é da sexta-feira (19) e foi publicada neste sábado (20).

O ministro atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República, que em 3 de junho, pediu que o ministro arquivasse os pedidos para que o ex-ministro seja investigado.

“Sendo assim, em face das razões expostas, e acolhendo, ainda, a manifestação da douta Procuradoria-Geral da República, não conheço da postulação formulada nos presentes autos, restando prejudicado, em consequência, o exame do pedido deduzido na petição protocolada, eletronicamente, nesta Corte Suprema, sob o nº 25.858/2020 (Pet 8.820/DF). Arquivem-se estes autos”, afirmou o ministro. 

Falcão pedia que Moro fosse investigado por prevaricação e condescendência criminosa. Disse que, ao pedir demissão, o ex-ministro relatou ter havido interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal, o que teria sido também uma “admissão de condutas que podem ser consideradas penalmente típicas“.

Gleisi também enxergou nas declarações de Moro ao deixar o governo confissões de prevaricação, mas o acusou também de praticar corrupção passiva e advocacia administrativa.

*Com informações da CNN Brasil

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.