BUSCAR
BUSCAR
Rio de Janeiro
Após 40 dias de intervenção militar, forças de segurança realizam operação
Assessoria também informa que Polícia Civil irá cumprir mandados de prisão. Ainda não há informações sobre o balanço da operação
Estadão
27/03/2018 | 09:25

O Exército e as polícias Militar e Civil do Rio de Janeiro realizam na manhã desta terça-feira, 27, uma operação no Complexo do Lins de Vasconcelos, na zona norte. A ação ocorre após o anúncio, na última segunda-feira, 26, do patrulhamento das regiões norte, sul e central da cidade e faz parte das medidas implementadas pela Intervenção Federal na Segurança Pública, que completa 40 dias.

De acordo com informações da assessoria do Comando Conjunto, 3.400 militares das Forças Armadas, 150 policiais militares e 350 policiais civis realizam o cerco, a estabilização dinâmica da área e a desobstrução de vias.

Segundo a Polícia Militar, a autoestrada Grajaú-Jacarepaguá foi fechada nos dois sentidos. Os bloqueios das vias de acesso à comunidade pretendem impedir a fuga de criminosos e coibir roubo de veículos e de cargas.

A assessoria também informa que Polícia Civil irá cumprir mandados de prisão. Ainda não há informações sobre o balanço da operação.

Também está prevista a possibilidade de restringir o espaço aéreo na região. Por enquanto, não há interferência nas operações dos aeroportos.

A ação ocorre após uma série de mortes na capital fluminense. Desde o último sábado, 24, onze pessoas morreram na Rocinha durante conflitos que envolveram traficantes, a Polícia Militar e o Batalhão de Operações Especiais (Bope). Entre elas, estava um policial militar – o 30º a ser assassinado no Estado do Rio neste ano.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.