BUSCAR
BUSCAR
Telefonia móvel
Anatel diz que decisão sobre tecnologia 5G vai seguir ‘princípio da neutralidade’
Órgão regulador deu recado de que não pretende privilegiar nenhum fabricante de equipamento
Estadão Conteúdo
27/11/2019 | 14:12

No centro de uma disputa tecnológica bilionária e que vai definir o futuro das telecomunicações no País, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) afirmou nesta quarta-feira, 27, que sua postura sobre a adoção da quinta geração da telefonia móvel (5G) vai se basear no “princípio da neutralidade de rede”. Na prática, o órgão regulador, pressionado por empresas americanas, chinesas e europeias, deu recado de que não pretende privilegiar nenhum fabricante de equipamento.

“Nós temos a premissa da neutralidade tecnológica, exatamente para dar a possibilidade e a oportunidade de que todos os fabricantes e toda a camada produtiva venham e participem de todas as licitações e que possam trazer os equipamentos de ponta para o nosso país”, comentou a superintendente executiva da Anatel, Karla Crosara Ikuma.

O assunto foi discutido em audiência pública da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, da Câmara, com presença de representantes de empresas como Ericsson, Huawei e Qualcomm. As empresas fizeram exposições institucionais de suas tecnologias, ambições com o movo sistema e expectativas de crescimento.

A fabricante sueca de equipamentos de telecomunicações Ericsson planeja investir R$ 1 bilhão para ampliar sua fábrica em São José dos Campos (SP), desenvolvendo uma nova linha de montagem exclusivamente dedicada a produtos de tecnologia 5G que serão fornecidos para toda a América Latina.

Na competição estão a finlandesa Nokia e a chinesa Huawei, que também têm fábricas em São Paulo e estão na corrida para liderar a implantação do 5G no Brasil.

A Anatel ainda está fechando as regras para o leilão 5G, que foi inicialmente agendado para março do próximo ano, mas depois foi adiado para o segundo semestre de 2020, enquanto continuam os testes sobre possíveis interferências com outros serviços.

A Huawei anunciou planos de construir uma fábrica de smartphones de US$ 800 milhões também no Estado de São Paulo nos próximos três anos. O plano agrada o governo brasileiro, mas enfrenta objeções do governo norte-americano, que não quer perder a guerra tecnológica para os chineses.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.