BUSCAR
BUSCAR
Impunidade
81% dos brasileiros queriam irmãos Batista presos, diz Datafolha
Segundo o levantamento, 64% dos brasileiros disseram que a Procuradoria agiu mal ao fechar o acordo de delação
Por Redação
25/06/2017 | 21:45

Para 81% dos brasileiros, os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, deveriam ter sido presos pelos crimes que confessaram após o acordo de delação premiada fechado com a Procuradoria-Geral da República. Já 14% acham que não, segundo pesquisa Datafolha publicada neste domingo (25) pelo jornal Folha de S.Paulo.

Ainda segundo o levantamento, 64% dos brasileiros disseram que a Procuradoria agiu mal ao fechar o acordo de delação com os donos da JBS prevendo apenas multa, e não a prisão dos delatores. Para 27% dos entrevistados, o Ministério Público agiu bem ao fechar o acordo.

O Datafolha ouviu 2.771 pessoas entre 21 e 23 de junho. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais.

O acordo fechado entre os donos da JBS e a PGR prevê o pagamento de 110 milhões de reais por cada um dos irmãos Batista, mas eles não correm o risco de serem presos ou terem de usar tornozeleira eletrônica.

Os irmãos apresentaram como prova da delação um áudio gravado secretamente por Joesley Batista de uma conversa que teve com o presidente Michel Temer em março.

Na gravação, Temer teria dado aval para a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha. É o que alega o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, em inquérito sobre o presidente apresentado ao Supremo Tribunal Federal. Mas Temer nega.

O presidente pode ser denunciado nesta semana por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça.

 

 

Fonte: Exame

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.