José Augusto Peres sobre SEJUC: “Mais fácil é que não se concretize”

Sobre a possibilidade de o Conselho Superior do Ministério Público deferir um eventual pedido – que ainda não foi feito de forma oficial – para o promotor de Defesa do Consumidor e ex-procurador-geral de Justiça do RN, José Augusto Peres, assumir a Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania – que cuida dos presídios, por exemplo –, essa não é das maiores, segundo a justificativa que o próprio promotor usou para não comentar de forma mais profunda o assunto.

– Não gosto muito de ficar falando disso porque cria uma expectativa que pode não se concretizar e, inclusive, acho que o mais fácil é que não se concretize, afirmou José Augusto Peres ao repórter Ciro Marques, de O JORNAL DE HOJE.

Para Raniere, só saúde justifica Micarla não disputar a reeleição

Para o vereador Raniere Barbosa (PRB), somente problemas de saúde justificariam a prefeita Micarla de Sousa não ser candidata à reeleição. “Se for para não ser candidata por motivo de saúde, eu respeito. Mas, se for razões políticas, eu critico”, diz, deixando entrever que irá gritar se Micarla abandonar a estratégia dela para apoiar uma estratégia que envolva Paulinho ou Edivan. “Da mesma forma que ela foi candidata e se elegeu, ela deve colocar seu mandato para avaliação da população. Dessa forma, ela se mostraria uma pessoa forte. Na hora que ela não faz isso, dá demonstrações de ser uma pessoa fraca”, analisa o vereador.

Raniere Barbosa: “Se o barco está naufragando, Micarla é responsável e deve ficar até o fim”

O vereador Raniere Barbosa (PRB) classificou de coerente a postura da prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV), que anunciou que não irá renunciar para viabilizar uma candidatura alternativa do seu sistema governista. “Ela permanecer no cargo é coerência, porque é muito fácil quando o barco está afundando pular fora do barco. Se o barco está naufragando, tem que se esforçar para não deixar o barco naufragar. Ela é responsável pela situação em que Natal se encontra. Ela tem que levar o barco”, disse o vereador em entrevista que vai às bancas na edição desta segunda de O Jornal de Hoje.

Em gravação, Demóstenes diz que conseguiu voto de juiz do STJ

O senador Demóstenes Torres (sem partido, ex-DEM) pediu a vários ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) a anulação de um processo contra um aliado do contraventor Carlinhos Cachoeira. Gravações da Polícia Federal mostram que na véspera do julgamento, em junho do ano passado, o senador telefonou para Cachoeira para pedir novamente o número do processo, para continuar o lobby.

Segundo informações do jornal O Globo, o caso estava registrado na Segunda Turma e o ministro Mauro Campbell Marques foi o único a votar pela anulação do processo contra Amilton Batista Faria (PTB), presidente da Câmara de Vereadores de Anápolis, em Goiás. Batista foi condenado em Goiás por contratar servidor fantasma e tentou recorrer no STJ, com a ajuda de Demóstenes e Cachoeira.

“Tô chegando aqui. Aquele ministro que nós pedimos, votou com a gente. O outro votou contra. Então, tá um a um”, avisou Demóstenes. O contraventor mandou o senador continuar com as tentativas. “Tem que pedir os outros, né. Agora é decisivo aí”, ordena o bicheiro. Ouvido pelo jornal, o ministro Campbell, único a votar a favor da anulação, negou que o senador tenha pedido seu voto.

“Ele não me pediu o conteúdo de voto algum. Eu não teria constrangimento em te afirmar isso categoricamente. Necessariamente não houve pedido. Sequer disse qual era o motivo que se discutia nos autos. Não chegamos nem a esse ponto. A audiência foi curta. Ele pediu apenas preferência”, disse o ministro, que afirmou ter votado pela anulação por convicção jurídica.

Receita espera 3, 206 milhões de declarações nesta segunda

O prazo para envio da declaração de Imposto de Renda Pessoa Física termina hoje, mas, mesmo assim quase 13% dos contribuintes brasileiros deixaram para entregar na última hora a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2012, ano-base 2011. Até ontem às 17 horas, o balanço da Receita Federal apontava a entrega de 21,794 milhões do total das 25 milhões esperadas. Ou seja, faltavam ainda 3,206 milhões  de declarações.

O supervisor do Programa do IRPF 2012 para o Paraná e Santa Catarina, Vergílio Concetta, acredita que nesta segunda-feira a Receita bata um novo recorde de recebimento. “No ano passado, 3,167 milhões de contribuintes entregaram a declaração no último dia”,disse.  Segundo Concetta, as segundas-feiras foram os dias em que houve o maior tráfego na entrega das declarações. “Ficou bem claro que o contribuinte passava o fim de semana preparando a declaração para enviá-la no primeiro dia útil da semana”, diz.

Governo do Estado pretende reformular incentivo à indústria

O governo do Rio Grande do Norte está revendo a política de incentivos à indústria. A coordenação de desenvolvimento industrial, vinculada à secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, vai propor ainda neste semestre mudanças na legislação do Proadi (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial do Estado do RN). Entre as propostas, que ainda estão sendo avaliadas, estão estender o benefício para  setores industriais não contemplados e conceder incentivos diferenciados para os setores mais afetados pela concorrência estrangeira, como o têxtil e de confecções. O texto do novo projeto de lei deverá ser encaminhado para a governadora Rosalba Ciarlini ainda em maio e do gabinete seguirá para a Assembleia Legislativa. Esta será a segunda maior reformulação do principal programa indutor da indústria potiguar em quase três décadas.

Frente de oposição em mossoró contabiliza sete partidos em prol de larissa rosado

Frente de oposição em Mossoró contabiliza sete partidos em prol de Larissa Rosado

Em concorrido ato político ontem, no Requinte Buffet, mais cinco partidos anunciaram apoio à pré-candidatura a prefeito de Mossoró da deputada estadual Larissa Rosado (PSB). Partido Popular Socialista (PPS), Partido Progressista (PP), Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Partido Republicano Brasileiro (PRB) e Partido Trabalhista Cristão (PTC) confirmaram ingresso na ampla frente oposicionista em formação para a disputa da Prefeitura 2012.

PPS, PP, PHS, PRB e PTC se juntam ao PTB e PSB no arco da aliança majoritária, que contará ainda com outras legendas. O evento pluripartidário reuniu lideranças nacionais, estaduais e municipais de diversos partidos. Do PPS, participaram o presidente nacional da sigla, deputado federal Roberto Freire (SP), o dirigente no RN, ex-deputado Wober Júnior, e o presidente em Mossoró, ex-vereador Wellington Barreto.

Do PRB, prestigiaram os pastores Valdir Trindade (dirigente estadual) e Jorge Vitorino (municipal). Miguel Mossoró representou a direção estadual do PTC; Vanicleudo Batista, líder do PHS mossoroense; Benedito Maranata, dirigente do PP no município. Em nome do PSB, compuseram a mesa a deputada federal Sandra Rosado, líder do partido na Câmara, o vereador Lahyre Rosado Neto, presidente municipal, e a deputada Larissa Rosado.

Participaram também os presidentes locais do PTB (Pedro Eugênio), do PDT (Rútilo Coelho) e do PCdoB (Gutemberg Dias). O vereador Jório Nogueira e o ex-vereador Júlio César Fernandes representaram o PSD; o vereador Genivan Vale participou em nome do PR, Raimundo Nonato Sobrinho, “Cinquentinha”, pelo PSOL, e ainda dirigentes do PSDC, pré-candidatos a vereador, militantes partidários e pessoas do povo.

Primeiro a discursar, o vereador Lahyre Neto destacou a importância da adesão dos partidos para fortalecimento do projeto da oposição em Mossoró. Vanicleudo Batista reiterou que o PHS segue sua coerência ao reforçar aliança com o PSB. Benedito Maranata considerou o evento um marco da sucessão mossoroense de 2012.

Sandra Rosado e Felipe Maia entre os melhores deputados do Brasil

Os deputados federais Sandra Rosado e Felipe Maia estão na relação da Revista Veja no ranking dos “melhores deputados do país”. A Veja estabeleceu, juntamente com o Núcleo de Estudos do Congresso, e analisou a posição de todos os deputados e senadores. Dos oito temas escolhidos pela Revista, a deputada Sandra Rosado mereceu nota 6,3 e classificou-se em quadragésimo primeiro lugar. Felipe Maia teve média 5,5 e ficou na posição 61. Os dois potiguares estão dentre os 201 deputados federais escolhidos pela revista.

A VEJA e o Núcleo de Estudos do Congresso, do Rio de Janeiro, avaliaram deputados federais e senadores, aferindo como eles se posicionam com palavras e votos em relação a questões vitais em tramitação nas duas casas legislativas.

Micarla pode ser beneficiada com saída de Carlos e Wilma da sucessão

A decantada inviabilidade eleitoral da prefeita Micarla de Sousa (PV) não seria suficiente para convencê-la a sobre os benefícios do projeto da renúncia em prol da construção de uma alternativa na sua base de sustentação. Embora definida a ficar no cargo até dezembro deste ano, Micarla apostaria numa reviravolta do jogo político em seu favor.

As contas do exercício de 2008 do principal adversário, Carlos Eduardo Alves (PDT), estão penduradas na Câmara e podem ser reprovadas, retirando o ex-gestor do páreo eleitoral. A segunda colocada nas pesquisas, Wilma de Faria (PSB), também está sob o jugo do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que também pode inviabilizá-la eleitoralmente, via processo do foliaduto.

Na hipótese dos dois ex-prefeitos ficarem inelegíveis, a pevista surgiria num cenário mais amistoso, tendo como principais adversários o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) e os deputados estaduais Hermano Morais (PMDB) e Fernando Mineiro (PT). Neste caso, tanto ela como os demais pré-candidatos se encontram em patamares eleitorais semelhantes segundo as pesquisas – todos com menos de 10% das intenções de voto, num universo de apenas 40% dos eleitores que definiram opções.

Talvez este “quadro dos sonhos” de Micarla a impulsione a permanecer no jogo sucessório. Só não se sabe até quanto e se será em vão, portanto, qualquer cobrança dos aliados políticos no sentido de renúncia. Para a prefeita, parece que enquanto houver luz, haverá esperança. Mas o tempo urge, os prazos estão próximos o desfecho poderá ser previsível.

Pevistas e aliados de Micarla estão divididos em relação à reeleição

A prefeita Micarla de Sousa, presidente estadual do PV, coloca o mês de maio como data limite para sua definição em relação à própria sucessão. Desgastada administrativamente e rejeitada eleitoralmente, a prefeita avalia a possibilidade de não se candidatar. Entretanto, há setores do PV que defendem a sua candidatura.

“Por mais que ela esteja em desvantagem nas pesquisas e até não tenha sucesso nas eleições, a campanha será uma oportunidade de ela mostrar o que fez nesse período na Prefeitura de Natal e de se defender de tudo isso que os adversários imputam a ela”, diz o secretário de Meio Ambiente e Urbanismo (SEMURB), Bosco Afonso, do Diretório Estadual do PV.

Na avaliação deste verde, Micarla contabiliza muitas realizações na Prefeitura, entretanto, as informações não chegariam de forma positiva para a população. “Acho que não soubemos comunicar bem e o desgaste se deve a isso. A campanha será uma oportunidade de ela se defender e também mostrar aquilo que realizou em Natal”.

Noutra ponta, há quem considere inviável a reeleição de Micarla e pleiteia uma estratégia para salvar o grupo político. Atualmente, além de Micarla, o sistema político municipal é composto pelo vice-prefeito Paulinho Freire (PP) e pelo presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Edivan Martins (PV).